Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princípios, 
os processos e toda a organização tatica do futebol!

Procuro no futebol a beleza que busco desde que existo

A convite do autor deste blog, aceitei expandir a minha zona de conforto e tentar voltar a “dar um caminho” a este brilhante blog de artigos de opinião que incidem sobre o nosso querido futebol. 
Neste primeiro artigo, trago-vos o “futebol que eu gosto”. Sendo que, este é visto pelas minhas “lentes pessoais”, através das quais o vejo (e sinto).

Desde as mais antigas civilizações, que um dos objetos de maior estudo e fascínio do Ser Humano, baseia-se na questão: “Quem sou eu?”. E os leitores, eventualmente, podem estar a questionarem-se... “O que isso tem a ver com a forma como vês o futebol?”. E, com a minha ousadia, respondo-vos com convicção: TUDO. Antes do Treinador, Jogador, Dirigente, Adepto, somos um “Eu” complexo que pensa, sente e age. Assim sendo, possuímos intrínseco a nós, um conjunto de crenças, valores, domínio da comunicação (connosco e com os outros), entre outros factores, que nos fazem ser um Ser único, e que nos ajudam a encontrar-nos como individualidade. 


Compreendendo que qualquer tipo de conhecimento é um processo e não um “produto fechado”. 
O meu trilho passa por ser honesta comigo mesma. Quem me conhece sabe que para mim “o futebol será sempre mais do que futebol”. É paixão, energia, alegria contagiante aliada a um incrível poder de união. Descobrindo-me a mim, descobri o futebol que gosto. Gosto das equipas que tratam bem a bola (tal como um prolongamento do corpo), na suas interações e articulações, da harmonia entre os jogadores nos diferentes momentos de jogo, da identificação de certos padrões, com um sentido em comum claramente perceptivél. Gosto das equipas que jogam com alegria. E sim, prezo o futebol apoiado, de posse e circulação. Não por vaidade, moda ou estilo, mas sim pelo impacto emocional que provoca em mim! As referências que observo são o City, Bétis, Ajax, Benfica, Barcelona, Guimarães, entre outros. Quanto mais os vejo, mais gosto deles! Fico encantada, cativada e ligada. Como os artistas dessas equipas pensam, vivenciam, tomam decisões, interagem, tendo a iniciativa e promovendo o risco. Como jogam o jogo! 


Tudo é válido no Futebol, não estou com isto a fazer crer que há Modelos/Ideias melhores do que outros, creio que o mais importante é sermos coerentes e fiéis a nós mesmo. Contudo, se é esta Ideia que me faz vibrar, mexer e emocionar, eu também sou isto. Como Treinadora, seja em que contexto for, haverá sempre valores (Princípios) que não irei prescindir, porque não estaria a ser EU e aquela não estaria a ser a MINHA equipa. 


Termino com um desafio aos meus colegas Treinadores, não fiquem presos aos que os outros pensam, a “números”, a uma estante repleta de troféus... O verdadeiro potencial édescobrimos os nossos próprios valores e crenças, o que verdeiramente buscamos em SER e ESTAR. 
Dá vida à tua vida! Dá jogo ao teu jogo! Não se escondam da vida, do jogo... 
“A principal tarefa do Homem é dar à luz a si mesmo.”

Joana Maia

Este artigo foi escrito pela Joana Maia, Treinadora e Coordenadora Técnica na empresa Futebol Feminino Atlético Clube de Cucujães e apaixonada pelo futebol. Pessoalmente, como autor de Teoria do Futebol, admiro a paixão da Joana pelo futebol. Futebol não é só para homens, e acredito que um dia a Joana (e muitas mais) vão deixar o futebol mais encantador.

Valter Correia