Oops! This site has expired. If you are the site owner, please renew your premium subscription or contact support.

Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princípios, 
os processos e toda a organização tatica do futebol!

Artigos

Modelo de jogo baseado no sistema tatico 4-2-2-2

Posted by Valter Correia on April 28, 2013 at 6:25 AM

        Após a publicação de modelos de jogo baseados nos sistemas táticos de 4-4-2 e 4-3-3, desta vez decidi desdobrar o sistema tático no 4-2-2-2 ou 4-4-2 com meio-campo em quadrado. Ao longo deste artigo, estudaremos alguns pormenores táticos que formaram este modelo de jogo, deixando para o fim, um download deste artigo, para que o mesmo possa ser estudado e imprimido pelo leitor sem necessitar estar ligado à internet.

 

     Um modelo de jogo baseado em 4-2-2-2 é um sistema tático vertical. Porque razão?



 

       Existem duas formas de desenhar sistemas táticos - com orientação vertical e orientação horizontal - e é a forma como a equipa pressiona o adversário que distinguimos se o modelo de jogo é vertical ou se é horizontal. Neste sistema tático, os jogadores dispõem de várias linhas de marcação (Fig. 1), onde as cinco linhas criam várias coberturas defensivas em simultâneo, algo que o 4-4-2  em linha (por exemplo) não permite. A vantagem da pressão vertical são as várias linhas de marcação, bastante eficaz contra equipas que pretendem atacar rapidamente e em direção à baliza. Porém, a troca de flanco contra uma equipa de pressão vertical é mais eficaz quando comparada com uma equipa de marcação horizontal, porque quase sempre existe espaço livre no flanco contrário à posição da bola (Fig. 2). Mas nada que impossibilite a equipa de defender bem, pois tem tempo para recuperar posições durante a troca de flanco.


       Artigo: Entenda como o tamanho do campo influencia no rendimento da equipa

 



     Modelo de jogo baseado no sistema tático 4-2-2-2

 

       Para este modelo de jogo, optamos por procurar um sistema tático que seja simples e que seja dinâmico, que possa combater um campeonato com equipas que defendem e equipas que atacam. Necessitando de apenas quatro movimentações básicas, este sistema tático foi criado para atacar quer posicionalmente, quer rapidamente, mantendo triângulos formados pelos jogadores para melhorar a circulação da posse de bola, mantendo uma postura defensiva sólida, e ainda criando amplitude seja em transição ofensiva ou momento ofensivo. A figura representa as várias movimentações básicas da equipa neste modelo de jogo.



 



     Características específicas deste modelo de jogo

 

        - Dinâmica ofensiva

       Neste modelo, existem quatro jogadores que oferecem bastante dinâmica ofensiva à equipa. Através de movimentações horizontais, contrárias à pressão horizontal do 4-2-2-2, é possível atacar tanto rapidamente quanto posicionalmente. Tanto os dois médios ofensivos como os dois avançados movimentam-se pelo corredor central e pelos flancos laterais, possibilitando amplitude no momento ofensivo, ocupação de espaços para vários tipos de trocas de bola, e ainda movimentações para vários tipos de finalização.



 

       - Transição ofensiva regular

       Para que a movimentação ofensiva tenha efeito, a transição ofensiva deve ser composta por uma defesa regular se perder a bola e excelente capacidade de levar a bola até ao ataque. Para que a postura defensiva seja regular, nada melhor do que uma linha de quatro jogadores, fixa, com dois médios defensivos na sua frente. Estes dois médios defensivos, capacitados para sair a jogar e para entrar em contenção e cobertura defensiva, funcionam como um motor de arranque para toda a equipa. Os laterais dinamizam a saída de jogo da equipa, seja pela amplitude prestada ou mesmo pela saída de jogo através dos seus pés.

 

       - Movimentações ofensivas variadas

       Certamente que um modelo de jogo com movimentações tão variadas leva o seu tempo para ser inserido numa equipa, sendo a transição ofensiva a que demora mais tempo. A possibilidade de sair a jogar pelo chão ou pelo ar, ou ainda a criação de situações de finalização pelo chão, pelo ar e nas costas da defesa faz deste modelo de jogo como um modelo ideal para campeonatos mistos. As várias movimentações serão estudadas mais à frente neste artigo.

 

        - Todos os momentos estão em sintonia

       Seja momentos ofensivos ou defensivos, as movimentações dos jogadores são muito idênticas. Quando a equipa está a defender, movem-se praticamente da mesma forma como se estivessem a atacar, permitindo a inserção do modelo de jogo com facilidade na equipa.




       Transição ofensiva

 

       Durante qualquer partida de futebol existirá sempre situações onde o ataque rápido é mais favorável e outras situações onde é mais favorável o ataque posicional. Tendo em conta este pormenor que influencia imenso na movimentação da equipa, achamos por bem começar a desenhar um modelo de jogo que possa servir estes dois métodos ofensivos:



 

 

       - Ataque rápido

       Após a recuperação da bola, a equipa tem linhas de passe verticais e sucessivas, terminando a transição com passes para as costas da defesa (figura 5), inversão de flanco (figura 4) ou passes diretos (figura 3).

 

       - Ataque posicional

       Durante o ataque posicional, entra a movimentação da equipa em ação. Com a simples movimentação em largura de um avançado e de um médio ofensivo, a equipa ganha em amplitude em zonas ofensivas, assim como em possibilidades de colocar a bola em todas as zonas do campo.

 

 


       Momento ofensivo

 

       A importância da consistência defensiva durante os ataques de uma equipa é muito importante. Desta forma, requer-se que o posicionamento da equipa durante ataque posicional ou ataque rápido, não só crie situações ofensivas, como mantenha a postura defensiva. A figura representa um ataque pelo lado esquerdo, onde o portador da bola é o avançado esquerdo e a figura 12 representa o posicionamento e movimentações dos jogadores em ataque rápido pelo lado esquerdo do campo. O médio contrário surge em zonas de finalização e o médio do mesmo lado do ataque recupera posição para o espaço central, seja para linha de passe, ou para manter este espaço fechado caso a equipa perca a bola. A figura 13 representa a movimentação da equipa quando perde a bola, onde o médio que fica atrás cobre rapidamente o espaço central e formando três linhas de marcação com direção vertical, e ainda três jogadores ainda mais avançados que pressionam imediatamente na saída de bola da equipa oponente.




 

       Por sua vez, durante o ataque posicional, o espaço adversário certamente estará muito mais fechado. Deste modo, é necessário criar amplitude e vantagem numérica, seja pela posição da bola, seja pelos espaços livres que existirem. Nesta figura, está representado o posicionamento dos jogadores e respetivas movimentações de base durante o ataque posicional.




 

       A figura 14 representa a o posicionamento prévio à criação de situações de finalização. Os dois médios formam amplitude máxima e os dois avançados adiantados obrigam o adversário a manter posições. Através da simples movimentação de dois jogadores na figura 15, é possível explorar o espaço central, como ainda manter a amplitude máxima. A figura 15 representa a primeira movimentação na criação de situações de finalização. Existe ainda a possibilidade deste posicionamento não dar certo e a equipa ser obrigada a tentar outro posicionamento. Na figura 16, com o adiantamento do médio esquerdo e do avançado direito, move-se a linha da amplitude máxima para zonas ainda mais adiantadas, tanto para obrigar o adversário a criar vantagem numérica e impedir que a saída deste seja rápida caso recupere a bola, assim como para a equipa ter espaço no meio-campo para procurar outras soluções ofensivas. Três jogadores muito adiantados, com o apoio rápido de um médio mais recuado e de um lateral subido, formam imensas linhas de passe que podem ser usadas para explorar qualquer método de finalização.


       Artigo: Tarefas-chave para treinadores que assumem equipas a meio da época

 



       Transição defensiva

 

       Neste modelo de jogo, a transição defensiva é rápida e objetiva, permitindo também pressão elevada logo na perca da bola, especialmente após a equipa ter tentado o ataque posicional.

 



       Na figura 17, a equipa recupera posições após um ataque rápido. Os dois médios, ainda alinhados e com pouca movimentação, baixam e ocupam o espaço onde está a bola. Os avançados descem também e pressionam nas costas do portador. Neste caso, a função dos médios ofensivos será: ocupar o corredor central quando a bola cai nessa zona; um deles ocupar o corredor central e o outro ocupar um corredor, quando a bola cai num corredor, tal como na figura 17. Caso a bola seja perdida e os médios ofensivos não consigam recuperar posições rapidamente, ou ainda em alguns casos onde o perigo causado pela transição ofensiva do adversário seja baixo (aproveitando para fazer descansar os médios ofensivos), os primeiros jogadores a pressionar são os médios defensivos, onde os médios ofensivos recuperam para as suas costas rapidamente. Esta movimentação, representada na figura 18, causa pressão o mais rapidamente possível quando os médios ofensivos não a conseguem fazer. Na figura 19 representa-se a movimentação defensiva após ataque posicional. Sejam médios ou avançados, certamente que teremos sempre dois jogadores colados às faixas laterais. Estes jogadores descem rapidamente, como que formando um 4-5-1 ou 4-2-3-1. Se necessário, destes dois jogadores, o que estiver mais longe do centro da bola, não descer em sentido vertical mas sentido diagonal, aumentado o povoamento em volta do centro da bola.


       Artigo: O manual de bolso das fases de jogo

 

 


     Momento defensivo

 

       Durante qualquer momento de jogo, existem duas coisas que os jogadores devem estar sempre prontos para fazer: cumprir a sua função nesse momento de jogo e estar preparado para transitar para o próximo momento de jogo. Assim, no momento defensivo, a função dos jogadores é recuperar a bola, assim como preparar uma transição ofensiva rápida e precisa. Na figura 20, representado o posicionamento defensivo fácil de obter seja após o ataque rápido ou o ataque posicional, a equipa tem vantagem em todos os setores do campo e ainda pode sair facilmente a jogar através de vários métodos ofensivos. Na figura 21, representa-se a movimentação para a pressão horizontal e a figura 22 representa a movimentação para a pressão vertical. Seja qual for o tipo de pressão, existem sempre formas de sair a jogar, seja rapidamente seja posicionalmente.



 

       Artigo: Série de exercícios para ensinar novos processos aos jogadores



       Características deste modelo de jogo

 



  • Figura 23 e figura 24: saída de jogo rápida, quer em ataque posicional, quer em ataque rápido
  • Figura 25 e figura 26: formação de triângulos através de movimentações simples, seja em 4-2-2-2 ou 4-5-1
  • Figura 27: motores da equipa, constituídos por quatro jogadores com muita movimentação e postura defensiva sólida
  • Figura 28: conjunto de movimentações dos vários jogadores

 

 


       Situações de finalização

 



  • As figuras 29, 30 e 31 representam a finalização em ataque rápido
  • As figuras 32, 33 e 34 representam a finalização em ataque posicional


 

Download deste artigo em PDF


bet365

Categories: Modelo de jogo

Post a Comment

Oops!

Oops, you forgot something.

Oops!

The words you entered did not match the given text. Please try again.

Already a member? Sign In

0 Comments