Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princípios, 
os processos e toda a organização tatica do futebol!

Periodização Tática

Reflexões acerca força no futebol


A força é, ainda, vista por muitos como uma base sólida para o futebolista de sucesso. É uma componente física, muitas vezes associada ao tamanho dos jogadores, sendo o Cristiano Ronaldo como um exemplo de um jogador alto e forte. Porém, o futebol não se trata de levantamento de peso. Mesmo no UFC, os lutadores, apesar de fortes, praticam alguma arte marcial como uma forma de tornar a sua luta mais hábil e poderem vencer mais vezes.

Princípio das propensões


Porque tudo tem uma razão de ser no futebol. Por vezes, confiamos fielmente naquilo que sabemos e aprendemos, e desconfiamos de novos métodos até que alguém nos prove o contrário. Ainda hoje há quem acredite que o físico é a única ferramenta do jogador. Existem até vários comentadores desportivos que semanalmente alimentam essa ideia, e que em nada acrescentam ao público em geral. Porém, a dimensão física não faz o jogador. É uma ferramenta ao serviço do jogador, tal como é a a dimensão técnica, tática ou psicológica. Então, o treino não deve estar centrado apenas na capacidade atlética dos vários jogadores, mas sim nestas quatro dimensões. Não importa ter um jogador que salta ou corre mais do que todos, se ele nem sabe passar uma bola, não sabe correr ou nem sabe quando saltar.

Princípio da Alternância horizontal em Especificidade


Todos nós sabemos que o exercício físico implica esforço ao nosso organismo, e por isso vários autores defendem que os atletas devem estar fisicamente bem treinados. Sim, a lógica da ideia é essa. Mas, como treinar bem um jogador de futebol? Será que fazê-lo correr mais, arrancar mais depressa, fará dele um jogador melhor? No futebol de hoje, não queremos onze jogadores, queremos uma equipa. Na periodização tática, não entendemos que devemos ter apenas jogadores fisicamente potenciados para ensinar o jogo que queremos jogar. Aquilo que entendemos é que os jogadores precisam estar frescos, tanto fisicamente como psicologicamente, para que possam aprender o máximo possível. O princípio da alternância horizontal em especificidade orienta os treinadores nesse aspeto.

Treinar em especificidade, treinar algo específico. Mas, no futebol, o que é específico e porque treinar específico? Antes de perceber isso, convém perceber o jogo. São 11x11 dentro do campo, surgem várias situações diferentes, em diferentes zonas do campo. Alguns autores interpretam um jogo como um caos constante, no qual precisamos de criar uma organização. É então que surge o modelo de jogo (MDJ) como forma de reduzir esse caos, e o treino para o operacionalizar. Então, para trabalhar esse MDJ no treino, não podemos criar exercícios e situações aleatórias, que em nada tem a ver com as ideias que pretendemos operacionalizar. É aí que surge a especificidade no treino.