Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princípios, 
os processos e toda a organização tatica do futebol!

A comunicação no futebol, é um poder sem limites

Mais um tema importante. Estudar futebol, não tem fim mesmo. São tantas coisas para estudar, mas o conhecimento adquirido torna-se tão grande, que se torna uma paixão. Comunicar, é ligar duas pessoas, e através desta ligação, se pode unir uma equipa inteira. Por muito que sejam valorizadas as quatro dimensões, (físico, técnico, tático e psicológico), nenhuma desta se desenvolve sem comunicação. Nem a organização se desenvolve sem comunicação entre jogadores e treinador.

A comunicação no treino


Ora vejamos: o treinador desenha um exercício prático e interessante, e pede aos jogadores para irem para dentro dos pinos e fazer o exercício. Até aqui, nada de anormal. Mas, quando acaba o exercício, o treinador não corrigiu os jogadores uma vez apenas. Claro que, mesmo sendo o exercício muito bom, se o treinador não os corrigir, se não os organizar, os jogadores não vão ter o máximo rendimento como equipa. A comunicação não pode falhar neste aspeto

A comunicação no jogo


Um jogo, são 90 minutos, pelo menos. E durante esse tempo, podem acontecer coisas variadíssimas. Uma delas, é tudo mudar de um momento para o outro. Outra coisa que também pode acontecer, é a equipa adversária variar no estilo de jogo, e a nossa equipa precisar de fazer mudanças. O treinador, em conjunto com a equipa técnica, é responsável pela organização da equipa, e precisa dar ordens para dentro do campo constantemente. Não vai acontecer a mesma coisa durante o jogo inteiro. O jogo está sempre a mudar, e o treinador precisa estar sempre atento e a corrigir as diversas falhas e alterações que vão aparecendo. Um treinador, por muito que perceba de treino e de jogo, se não corrige a equipa e fica calado dentro do campo, está a falhar no aspeto comunicativo.


A forma como comunica


Alguma vez viram um colega vosso a falar com uma voz muito baixinha e até parece que tremia? Pois, pode dizer a maior verdade do mundo, e até dizer todas as verdades do universo, mas não convence, porque a sua forma de comunicar não é convincente. Por exemplo, quem não sabe ler chinês, pode até ter a mensagem que vai mudar a vida mesmo à sua frente, mas como não a consegue ler, não a vai perceber. Um treinador, se falar chinês para os jogadores, estes não vão entender a mensagem. Não basta ter a mensagem correta pronta a enviar. Importa também, a forma como esta é transmitida. Voz baixa, linguagem pouco acessível, arrogância, e muitos outros fatores, tudo isso inflaciona a mensagem transmitida, por mais que esta seja a correta.


A comunicação corporal


A forma como nos comportarmos, diz muito acerca de nós. Um treinador que não acredite nas suas ideias, pode saber utilizar as palavras certas, mas se a sua linguagem corporal não combina com a mensagem, esta não terá a mesma qualidade. Falar de ombros baixos, ficar de mãos no bolso durante o treino, nunca pode ser tão acreditado como um treinador que levanta os braços na hora de falar. Mas não é a parte consciente do ser humano que percebe isto. É a parte inconsciente, e nós acabamos por dar menos credibilidade à pessoa quando esta tem a linguagem corporal errada, mesmo sem dar por conta disso. Achamos que são pessoas pouco convincentes.

A voz do comunicador


Existem algumas dicas dos especialistas para se comunicar bem, e uma delas é nunca falar rápido de mais. A nossa mente, pode ser muito boa a entender o que dizemos, mas os nossos colegas não tem os mesmos conceitos assimilados na sua mente como nós. Isso quer dizer que, ao comunicar, muitos de nós, além da mensagem, precisamos perceber como encaixam os vários conceitos que nos são transmitidos, isto é, precisamos organizar a mensagem para depois a compreender. Se alguém fala demasiado rápido, as pessoas vão demorar mais tempo para o entender, por mais rápida que seja a sua mensagem.


O tom de voz, é também importante. Falar baixinho ou falar triste, não conta. Interessa é falar com voz que se oiça (sem andar desesperado aos berros) e falar com entusiasmo. As emoções também se transmitem pelo tom de voz e influenciam imenso na comunicação. Como quer o treinador, que as suas ideias sejam acreditadas, se ele mesmo fala como se não acreditasse nelas?


O momento certo para comunicar


Muitos adeptos dizem que os treinadores falam pouco. Talvez não saibam ler o jogo para dizer isso, porque nem sempre falar muito é sinónimo de falar bem, principalmente durante os jogos. Assume-se uma estratégia, e dá-se tempo aos jogadores para a colocar em jogo. O treinador não pode ser interventivo durante 90 minutos, porque são os jogadores que precisam pensar o jogo. O treinador precisa de os deixar pensar, sempre, pois são eles que realizam as ações dentro do campo. São os jogadores que precisam decidir.

Assine agora e receba todas as novidades por e-mail

E faça download do ebook 72 exercícios para as fases do jogo imediatamente. Clique aqui para saber mais
endereço de email
*
campayn