Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princípios, 
os processos e toda a organização tatica do futebol!

Artigos

As posições dos jogadores é o menos. O que importa são as funções deles


Defesas centrais, médios, pontas de lança, extremos, tudo isso importa menos se os jogadores não são capazes de cumprir as funções para os quais são treinados. De que importa jogar com um trinco por exemplo, se este não é capaz de cumprir as funções que lhe pedem como trinco? 

Qual a diferença entre equipa que domina a posse de bola e equipa que domina o jogo?

Para todos nós que adoramos futebol, uma boa conversa de táticas nunca é demais. Após o jogo favorito da nossa equipa, sempre temos a nossa análise a fazer acerca quem jogou bem e quem jogou mal. Certamente que o leitor já passou por uma situação onde ouviu alguém dizer que a equipa que tinha mais posse de bola dominou a partida por completo, certo?
Pensamentos acerca analistas de desempenho

Numa sociedade cada vez mais evoluída e exigente, precisamos melhorar os nossos recursos para combater a concorrência. Não é por acaso que ao longo da existência deste espaço, variamos assuntos como treino, psicologia e organização tática, porque sabemos que todos estes fazem falta ao treinador. 
Os processos pré-concebidos e a criatividade

Ao associar o modelo de jogo aos princípios que lhe dão forma, à capacidade dos jogadores interpretar esses princípios e aos recursos disponíveis para ministrar esses princípios aos jogadores, muitas vezes estamos mais preocupados com a organização tática do que as outras dimensões. Por vezes, até deixamos passar a questão da forma como todas as dimensões trabalham em conjunto e como as podemos equilibrar para alcançar os resultados desejados.
Devemos abdicar do contra-ataque?

Desde que me conheço que dei conta que o ser humano é levado pela moda do momento. Há sempre meia-dúzia que criam, e milhões que copiam. Não seja por isso que temos o exemplo do FC Barcelona com uma imensa posse de bola, e algum tempo depois vemos dezenas de equipas a praticar posse de bola. Nada de errado nisso, afinal, se queremos ver a nossa equipa jogar como os melhores, então é o estilo deles que precisamos aprender a jogar.
Correr atrás da bola ou dominar o jogo?

Não consigo imaginar como podemos montar uma equipa vencedora sem organização alguma. A organização liga os vários elementos da equipa, fazendo cada jogador ter mais oportunidades e consequente mostrar mais vezes o seu valor. Mesmo assim, ainda há quem acredite que o futebol é correr com a bola, criar 50 oportunidades de golo ao chuveirinho ou vai à linha e cruza. E como podemos conseguir essa organização?
O todo e as partes

Quando comecei a estudar futebol, ouvia dizer que as partes juntas valem mais que o todo. Mas como seria isso possível? Se 2+2 são 4, se esta conta nos diz que as partes são iguais ao todo, como poderia ser a soma das partes, superior ao todo? Aquilo que eu não tinha percebido, é que esta não é uma questão lógica, que a matemática possa resolver. Para cada ação realizada no futebol existe uma razão, diferente de qualquer conceito de lógica, embora mais difícil de compreender. 
Inteligência e treino

Quando muitos ainda acreditam que o jogo se faz de fintas de outro mundo, de que os pontas de lança só servem para fazer golos e que o futebol é meramente físico, poucos já perceberam que o futebol é praticado por pessoas e não por robots. Se assim o é, naturalmente acontecerá o erro, a imprevisibilidade acerca os acontecimentos do jogo e que o gosto pelo jogo faz o jogador evoluir. 
Defesa à Zona: Reflexões acerca do seu treino

O presente artigo visa partilhar, como o título do mesmo indica, algumas perspetivas acerca de um aspeto particular sobre o treino em futebol, especificamente, no método defensivo Defesa à Zona.
Eu não ouvi isto. 7 expressões que nos mostram o quanto não percebemos de futebol

Às vezes, convém parar um pouco e refletir aquilo que fazemos e pensamos. Podemos estar a cometer um erro sem saber disso, e a não ser que alguém fiel nos corrija, podemos até levar muito tempo para perceber isso. Falar de futebol não é difícil. 
A importância da relação com bola

Muito tenho eu, ouvido falar na dimensão física, como uma caraterística do jogador de total importância para o rendimento do atleta. Não nego que esta afirmação seja verdade, nem discordo com a mesma, mas acredito que esta afirmação não esteja completa. Físico, no futebol, não é tudo. 
Defesas ajudam a atacar, atacantes ajudam a defender. No futebol, já não existem jogadores com funções isoladas

Não faço ideia porque ainda se acredita que atacantes só servem para atacar e são muito bons se andarem a fintar tudo e todos, e os defesas só servem para defender e só são bons quando fazem 50 desarmes por jogo. O futebol de hoje não depende da ação individual, mas da organização coletiva 
Neuer, o melhor guarda-redes do mundo

Ser o melhor tem muito que se lhe diga. Ainda que cada um de nós seja mais propenso a determinadas tarefas, nenhum de nós nasce melhor do que ninguém. A excelência exige treino, tempo, experiência e erro. Neuer é hoje o melhor guarda-redes do mundo e muitas das suas habilidades podem ser comprovadas no vídeo que se segue. 
O fator casa no futebol e nas apostas desportivas

Por vezes, precisamos levar a nossa visão mais a fundo para que nos seja possível compreender como são as coisas por dentro. Há quem diga que o futebol se faz de golos, mas todo o caminho necessário até ao golo é tão importante como o golo em si. Só é possível marcar um golo se a equipa for capaz de construir situações que facilitam essa tarefa. Rematar não basta. 
Porque devemos equilibrar a nossa confiança?

Quem não gosta de se sentir confiante, e fazer qualquer tarefa como se fosse natural? A confiança nas próprias habilidades é sempre positiva, pois impede que o medo de falhar ou acertar atrapalhe, produzindo melhores resultados. Porém, tudo pede que se torne equilibrado, e é tão horrível ter pouca confiança como ter confiança em excesso. No futebol, confiança em excesso tanto pode levar ao erro no jogo como nas apostas desportivas
O que realmente é importante para a formação de jovens jogadores? Paixão pelo jogo

Não adianta dizer que tudo é feito com trabalho árduo, com sacrifício, ou como alguns assim o entendem, por obrigação. Fazemos muitas coisas por obrigação, mesmo para alguns de nós que não trabalhamos no futebol. Infelizmente, nem todos podemos escolher aquilo que mais gostamos de fazer e conseguir chegar ao sucesso. No futebol, não compreendo porque alguns treinadores querem ensinar organização tática a jovens com 9 anos, que mal tem noções de coletivo, de espaço, de sacrifício, entre outros. Nem compreendo porque um pai entende que o seu miúdo devia jogar para treinar, quando nos treinos treina muito mais tempo que no jogo. Os direitos dos miúdos não são iguais para todos?
Porque o treino deve ser bem preparado e planeado?

Por vezes, precisamos levar a nossa visão mais a fundo para que nos seja possível compreender como são as coisas por dentro. Há quem diga que o futebol se faz de golos, mas todo o caminho necessário até ao golo é tão importante como o golo em si. Só é possível marcar um golo se a equipa for capaz de construir situações que facilitam essa tarefa. Rematar não basta. É necessário construir de forma inteligente cada uma das situações, tanto na saída de jogo como na finalização. Mas existem outros fatores que influenciam na forma como as equipas constroem essas situações. 
Importância da coordenação motora nas camadas jovens

As crianças, durante o seu desenvolvimento, não precisam apenas crescer ou ganhar força. Isso é importante, mas não é a única coisa importante no seu crescimento da criança. Existem mais coisas importantes, como o gosto pela vida, a necessidade de brincar, a aprendizagem em diferentes áreas e a importantíssima coordenação motora, ainda mais quando se fala em desporto, qualquer que seja o desporto. A qualquer atleta, pedimos que este seja bem desenvolvido no que diz respeito à coordenação motora, e a qualquer treinador de formação, pedimos que todos eles evoluam os miúdos neste aspeto quanto possível.
Princípio das propensões

Porque tudo tem uma razão de ser no futebol. Por vezes, confiamos fielmente naquilo que sabemos e aprendemos, e desconfiamos de novos métodos até que alguém nos prove o contrário. Ainda hoje há quem acredite que o físico é a única ferramenta do jogador. Existem até vários comentadores desportivos que semanalmente alimentam essa ideia, e que em nada acrescentam ao público em geral. Porém, a dimensão física não faz o jogador. É uma ferramenta ao serviço do jogador, tal como é a a dimensão técnica, tática ou psicológica. Então, o treino não deve estar centrado apenas na capacidade atlética dos vários jogadores, mas sim nestas quatro dimensões. Não importa ter um jogador que salta ou corre mais do que todos, se ele nem sabe passar uma bola, não sabe correr ou nem sabe quando saltar.
O que fazer quando parece que nada dá certo?

Quando temos um plano A e por algum motivo, esse plano não funciona, bom remédio será ter um plano B pronto a utilizar. Afinal de contas, se temos uma estratégia que se revela errada, devemos apontar a uma segunda estratégia ou ficar à espera que as dificuldades se resolvam sozinhas? Os problemas não são para evitar, mas sim para resolver. E quando o plano B também dá errado?

Ser ou não ser, treinador amigo


Muitos se apoiam na base da disciplina, acreditando que um treinador não pode dar confiança aos jogadores, uma ideia que eu não partilho. Os jogadores precisam confiar no seu treinador, confiam nas suas ideias, e isto só é possível quando o treinador transmite confiança aos treinadores. Quem gosta de sentir que está a trabalhar para um chefe? Ninguém. Este artigo foi um dos que mais gosto me deu publicar. 

Princípio da Alternância horizontal em Especificidade

Todos nós sabemos que o exercício físico implica esforço ao nosso organismo, e por isso vários autores defendem que os atletas devem estar fisicamente bem treinados. Sim, a lógica da ideia é essa. Mas, como treinar bem um jogador de futebol? Será que fazê-lo correr mais, arrancar mais depressa, fará dele um jogador melhor? No futebol de hoje, não queremos onze jogadores, queremos uma equipa. Na periodização tática, não entendemos que devemos ter apenas jogadores fisicamente potenciados para ensinar o jogo que queremos jogar. Aquilo que entendemos é que os jogadores precisam estar frescos, tanto fisicamente como psicologicamente, para que possam aprender o máximo possível. O princípio da alternância horizontal em especificidade orienta os treinadores nesse aspeto.

As ações técnico-táticas como ferramenta do jogador


Existe uma grande diferença entre jogar à bola e jogar futebol. Correr, fintar, saltar, tudo isso é fácil, mas tudo isso forma um caos que precisa ser organizado. A questão importante é como organizar esse caos. Como tratar a bola de forma a diminuir a complexidade do jogo, e torná-lo simples de forma a alcançarmos a baliza adversária, que é o nosso objetivo no jogo? O jogador moderno não se distingue pela sua força ou velocidade em sprint, mas da sua capacidade em dar sequência ao jogo, seja em que situação for. Por isso, ao jogador não importa apenas saber fazer uma finta ou um passe. É necessário aliar uma boa razão para que esse gesto seja feito, produzindo uma boa decisão que aproxima a baliza do golo.

Qual a diferença entre jogar em ação e jogar em reação?


Jogar em ação. Ter um objetivo e praticá-lo a frio, no futebol, e em tudo na vida. Nunca é tarde de mais para aprender, e desengane-se quem pensa que já sabe tudo. Esse é o primeiro passo para deixar de aprender. Digo isto porque existe uma grande diferença entre jogar em ação e jogar em reação. Mas facilmente encontramos jogadores ou equipas a correr atrás da bola sem uma orientação, sem uma organização, a jogar em reação, sem perceberem isso.

O que são passes de qualidade?


Quem me conhece, sabe que não sou mestre de futebol. Existe ainda muito para aprender, e quando tudo for aprendido, posso começar de novo, pois o futebol evolui. Evolui o futebol, mas nem todos acompanham esta evolução, pois muitos não buscam aprofundar os seus conhecimentos. Discutir futebol constantemente, procurar entender o conhecimento dos mais sábios, inventar problemas e procurar soluções, e mesmo questionar e acompanhar diferentes métodos de treino, com diferentes treinadores, tudo isso contribui para o desenvolvimento do nosso conhecimento acerca o futebol. Mas, o facto, é que o futebol é um desporto coletivo, mas muitos crêem que o jogador deve ser trabalhado na sua forma física, ou seja, vêem o futebol como um desporto individual.

Jogar bem ou jogar diferente?


Uma das melhores coisas que existe no futebol, é a competição. Seja qual for a liga, seja qual for o campeonato, a competição estará sempre presente no futebol. E quanta mais alta for a classificação de uma liga ou campeonato, maior é a competição nessa prova. E ainda bem porque existe competição, porque é esta ansiedade por vencer que leva gente aos estádios, e faz do futebol tão grande quanto ele é. Mas, depois surge uma dúvida: no meio de tanta competição, como vencer?

Treinar em especificidade, treinar algo específico. Mas, no futebol, o que é específico e porque treinar específico? Antes de perceber isso, convém perceber o jogo. São 11x11 dentro do campo, surgem várias situações diferentes, em diferentes zonas do campo. Alguns autores interpretam um jogo como um caos constante, no qual precisamos de criar uma organização. É então que surge o modelo de jogo (MDJ) como forma de reduzir esse caos, e o treino para o operacionalizar. Então, para trabalhar esse MDJ no treino, não podemos criar exercícios e situações aleatórias, que em nada tem a ver com as ideias que pretendemos operacionalizar. É aí que surge a especificidade no treino.

Futebol, um misto de razões, emoções e ideias. Mais que um desporto!

Futebol, para muitos, é um simples desporto e uma bola a rolar no relvado ou sintético. Para outros, é um "ganha-pão", e para outros é uma razão de viver. É interessante como uma simples bola consegue levar 100.000 pessoas a um estádio para saltar, gritar, festejar, chorar, assobiar e afim, provando o quanto grande é esta modalidade desportiva. Muitos não tem noção de tudo o que acontece em volta do futebol, esquecendo que, apesar de estar centrado numa bola, o futebol vai além dos horizontes da maioria dos mortais que o acompanha. Acontece que o futebol é uma atividade social e funciona como um espelho ao ser humano de tal forma que as maiores virtudes e defeitos da nossa espécie aparecem refletidas neste desporto.
3 dicas úteis para melhorar o rendimento da sua equipa 

Desde o início de qualquer coisa que façamos, começamos sempre pelo básico, ou pelas bases se preferirem chamar. Nas aulas de língua portuguesa ou brasileira, onde estudámos o nosso idioma, a primeira coisa que nos ensinam é o abecedário para depois aprendermos a ler. Na matemática, aprendemos os números, para depois aprendermos a fazer contas. Desta forma, vamos de encontro a três bases do alto rendimento, compreendendo o que representa cada uma dessas bases para criar uma equipa vencedora
Estratégia e preparação: os requisitos para formar uma equipa competente


Quanto mais se estuda, mais se aprende. E quando mais se sabe, mais há para descobrir. De facto, uma das caraterísticas que fazem que um treinador seja bom ou mau, é mesmo a sua capacidade em analisar e compreender o jogo. Sem dúvida alguma, são poucos treinadores que têm capacidade fora do comum para perceber o jogo, e de facto, são esses treinadores que tem os melhores recursos para ganhar dinheiro com o futebol. Mesmo para adeptos, ter a capacidade de compreender o jogo é difícil, principalmente para quem nunca jogou futebol. Mas acompanhar jogos e treinos da sua equipa favorita, será um excelente recurso para começar a perceber o jogo com mais clareza.


Ultimamente, diferentes hábitos no futebol tem sido alterados. Uma vez que esses hábitos funcionam como uma cadeia, a forma de trabalhar em alguns setores no futebol altera a forma de trabalhar em outros setores no futebol. Com a evolução do treino da periodização convencional para a periodização tática, é agora possível treinar a forma como o treinador pretende jogar em campo e com isso, é necessário encontrar fundamentos para desenvolver uma estratégia para o jogo. Esses fundamentos são encontrados quando analisámos as equipas adversárias, sendo os observadores técnicos responsáveis por essas análises. Vamos então simular o trabalho semanal de um observador técnico, procurando perceber melhor quais são as tarefas habituais dos observadores técnicos.
Diferentes razões para as equipas formarem triângulos no campo

Hoje, voltando ao nosso estudo habitual acerca do futebol, vamos rever as triangulações em três situações diferentes: em vantagem numérica, em igualdade numérica e desvantagem numérica. Podíamos rever dezenas de combinações diferentes mas, a importância mesmo será compreender o que geralmente sucede quando a nossa equipa está em vantagem ou desvantagem numérica, e porque razão os princípios gerais indicam que a equipa deve criar vantagem numérica. Antes disso, vamos estudar algumas questões certamente importantes.

Como encontrar talentos no futebol? 


Nenhum treinador poderá chegar longe se não for capaz de analisar as várias situações que acontecem durante uma partida de futebol. Pode ser um treinador muito bom na vertente de treino, ter uma capacidade fora do comum de moralizar jogadores e até saber investir no futebol e ganhar dinheiro, mas não obterá sucesso se não reconhecer o que está acontecer à equipa durante qualquer jogo de futebol.    


Durante o treino de uma equipa de futebol, existem variados objetivos que devem ser cumpridos, como por exemplo, não treinar nem pouco nem em demasia, respeitando o princípio da sobrecarga. Outro exemplo, ao respeitar o princípio da especificidade, o treino deve ser rigoroso e restritivo aos seus objetivos, excluindo exercícios que não influenciam na forma de jogar da equipa. Entretanto, a preparação para um jogo de futebol precisa de uma orientação específica, orientação que é encontrada a observar o adversário.
10 pontos importantes para a preparação da equipa para a competição


Muitos treinadores defendem que a base para o sucesso no futebol é a preparação, seja de apenas um jogo, seja da competição completa. Referindo a preparação de um jogo, sabemos que analisamos o adversário, preparamos uma estratégia para o jogo e disputamos o jogo com base na preparação feita durante o treino semanal. Entretanto, não nos podemos preparar para apenas um jogo, mas sim todos os jogos, de forma global, preparação essa realizada durante a pré-época. Analisando rapidamente 10 pontos importantes para a preparação da equipa para a competição, ficaremos a compreender a importância da pré-época para qualquer competição

"A equipa pode estar bem fisicamente e não jogar bem. O estado de forma é algo muito mais complexo do que a forma física." Esta frase, pertencente a Rui Faria, é a melhor frase para começar este artigo. Desde a instauração da periodização táctica no futebol no início do milénio já passou mais de uma década mas, mesmo assim, ainda não passou tempo suficiente para o treino ser compreendido como treino colectivo. Em vez disso, ainda é compreendido como treino individual ou treino do grupo. Já vamos ver isso.