Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princípios, 
os processos e toda a organização tatica do futebol!

Artigos

Quebrando o paradigma de ataque rapido ou ataque posicional com o ataque controlado

Posted by Valter Correia on March 10, 2013 at 2:50 PM

       Nenhum de nós deve ser agarrado a uma ideia, a uma forma de pensar ou a uma forma de ser. A realidade do mundo atual é de tal forma dinâmica, que se nós apresentamos pouco dinamismo, somos deixados para trás, sem uma segunda oportunidade para tentar novamente. Bem, a segunda oportunidade até pode surgir, desde que saibamos como ser um profissional exemplar. Ou então podemos aprender a ganhar dinheiro e viver a vida mais descansados e maravilhados.


        Após a leitura do artigo "Qual a diferença entre equipas que dominam a posse de bola e equipas que dominam o jogo", surgiu, no meio de uma conversa, que o futebol não pode ter métodos ofensivos onde os jogadores não sabem para levar a bola nem sabem o que fazer com ela. Daí, decidimos quebrar as ideias de ataque rápido e ataque posicional, e desafiar os apaixonados e estudantes de futebol a conhecer um novo paradigma, ou pelo menos, uma forma diferente de ver o jogo. Ataque posicional é o ataque controlado, mas com muito trabalho a fazer pelos jogadores. Ataque rápido é um ataque dinâmico e explosivo, no entanto, envolve muito risco de perder a bola e oferecer ótimas oportunidades à equipa adversária.




       Se o ataque posicional responde à questão "O que fazer com a bola de forma que haja sempre uma segunda oportunidade?" e o ataque rápido responde à questão "Como atacar, para que o adversário tenha poucas hipóteses de defender?", então porque não podemos responder ás duas questões com apenas um método ofensivo, diferente do habitual, a que podemos chamar ataque controlado?


        As vantagens do ataque rápido em relação ao ataque posicional


        O ataque posicional, conhecido por segurar a bola e esperar o momento certo para atacar, tem a vantagem de oferecer sempre uma segunda oportunidade para voltar a atacar. Porém, é necessário que cada jogador no campo seja muito paciente para esperar pelo momento certo para atacar, seja muito paciente para desorganizar uma equipa adversária. Muitos jogadores não tem uma personalidade paciente, e acabam por cometer erros que obrigam a equipa a recuperar a bola e a começar tudo de novo. Aliás, quando uma equipa ataca em ataque posicional, sobe imenso as linhas de marcação, e o resultado é obrigar o adversário a defender, o que por vezes resulta mais em dificuldade para a equipa atacar do que na vantagem de ter a bola quase sempre controlada.

       O ataque rápido não cria essa desvantagem, nem espera pelo momento certo para atacar. Reserva-se na filosofia de velocidade e explosão nem implica a necessidade que o atleta tem em analisar o jogo como o ataque posicional. Basta que o atleta reconheça em qual momento está e como vai atacar nesse momento. Evidente que também exige o seu treino e preparação antes dos jogos de futebol, para que o atleta ataque rapidamente com eficácia.


        As vantagens do ataque posicional em relação ao ataque rápido


        Geralmente, as equipas que atacam com ataque rápido como método preferencial, tendem a ter uma posse de bola baixa, embora possam muita vezes apresentar uma taxa de sucesso mais elevada em cada ataque do que no ataque posicional. Tal acontece porque as equipas que jogam em ataque rápido, praticam futebol com linhas baixas, libertando espaço para atacar rapidamente. É uma grande vantagem que o ataque rápido tem em relação ao ataque posicional, pois vai sempre permitir o adversário libertar espaço. No entanto, essa vantagem cria uma desvantagem que é justamente o risco de perder a bola. E as estatísticas indicam quantas vezes a equipa perde a bola e uma percentagem de bola inferior para as equipas que atacam rapidamente.

        O ataque posicional não tem essa desvantagem, uma vez que a equipa está sempre pronta para escolher outra forma de atacar, está sempre a circular a bola, está sempre pronta para recuperar a bola e mesmo que perca a bola, rapidamente voltará a ter a sua posse e a dispor de oportunidades para atacar.


        Somar as vantagens do ataque posicional e do ataque rápido e formar o ataque controlado


        Se o ataque posicional oferece sempre segurança para quem ataca e o ataque rápido oferece dinamismo e explosão, porque não usar as vantagens de um para suprimir as desvantagens do outro e levar a equipa a dominar o jogo, escolher como atacar e atacar com perigo e eficácia?

 

Vejamos esta situação de ataque posicional:

 

O portador da bola não pode rematar, porque o caminho para a baliza está vedado; não pode passar para a frente, porque os colegas de equipa estão fortemente marcados; se passar para trás, obriga a começar tudo de novo; se passar para o flanco contrário, a equipa adversária alcança a bola a tempo.

 



 


Agora, vejamos esta situação de ataque rápido:


O portador da bola opta por driblar um adversário, mas enquanto isso, dois adversários colocam-se por trás e um terceiro marca o seu colega de equipa. Agora, o portador da bola, se tentar ultrapassar mais um adversário, provavelmente perderá a bola. Se parar para pensar, vai ser pressionado e pode perder a bola. E para os colegas não pode passar, porque estão bem marcados. A única opção é passar a bola para longe ou tentar segurar a mesma, enquanto espera por mais opções. Todas elas são um risco de perder a posse de bola.



Então, vamos organizar um ataque controlado:




Figura 1: o portador da bola, transporta a bola em frente e atrai um adversário. Quando este se aproxima, a bola a um colega de equipa e move-se em profundidade.

Figura 2: o novo portador da bola, transporta a bola para o flanco esquerdo, e atrai a marcação. Um jogador no lado direito, está já em movimento para receber a bola

Figura 3: a equipa encaminha a bola para um extremo posicionado no lado contrário do campo

Figura 4: o extremo tem agora a oportunidade de levar a bola em direção à baliza sem marcação e dois jogadores surgem na zona de finalização

Figura 5: quando um adversário se aproxima do extremo, este já está a cruzar para os dois colegas de equipa bem posicionados

Figura 6: se esta jogada terminou em golo, nunca saberemos. Importante é salientar que com a habilidade de segurar a bola como no ataque posicional e habilidade em a levar até à baliza como no ataque rápido, uma situação de finalização surgiu rapidamente e com bastante espaço para os jogadores decidirem o que fazer com a bola


       Para compreender o ataque controlado, precisamos de compreender que é necessário pensar o jogo em vez de escolher apenas um caminho para atacar (como no ataque rápido) ou passar a bola a um colega de equipa (como no ataque posicional) na esperança que ele encontre uma solução viável. Nas duas situações descritas, é muito difícil levar a bola até à baliza. No ataque controlado, foi possível criar uma situação de finalização utilizando estratégias do ataque posicional e do ataque rápido.


 

Confira um modelo de jogo:


        A dinâmica que o ataque controlado oferece


        Quando uma equipa tem habilidade em segurar a posse de bola e de atacar rapidamente, como no ataque controlado, é natural que seja hábil a utilizar ambos os métodos ofensivos em simultâneo, certamente terá a habilidade de usar cada um dos métodos em separado. Isto pode ser especialmente útil, uma vez que o calendário de qualquer competição abrange várias equipas com diferentes formas de jogar. Contra algumas equipas, o ataque posicional será mais vantajoso que o ataque rápido, em outras equipas, será o ataque rápido mais vantajoso. E ainda perante outras equipas, será o ataque controlado, o método de excelência para vencer essas equipas.

        Desta forma, o ataque controlado oferece a dinâmica que permite jogar contra qualquer equipa de qualquer forma e feitio, criando uma equipa com uma forma de jogar muito moldável, muito criativa, pouco previsível e acima de tudo, semelhante de jogo para jogo. Esta semelhança da forma de jogar de jogo para jogo permite aos jogadores enraizar uma forma específica de tomar decisões durante a partida (da mesma forma que é usado o princípio da continuidade do treino), assim como melhora imenso a criatividade dos jogadores a cada jogo que participam (tal e qual o princípio da variabilidade do treino)

        Assim, para inserir o ataque controlado na sua equipa enquanto método ofensivo, o treinador está a obrigar os jogadores a serem estimulados no treino de várias formas e feitos, cujo resultado será uma equipa dinâmica, criativa e motivada pela capacidade em escolher soluções para vários obstáculos (adversários) que surgirão durante a época desportiva


Artigos recomendados



bet365

Categories: Metodos de Jogo

Post a Comment

Oops!

Oops, you forgot something.

Oops!

The words you entered did not match the given text. Please try again.

Already a member? Sign In

0 Comments