Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princípios, 
os processos e toda a organização tatica do futebol!

Artigos

A analise ao AS Roma vs AC Milan, por Ruben Tavares

Posted by Valter Correia on January 3, 2013 at 3:10 PM

       O presente relatório foi enviado por Rúben Tavares. Agradecemos o contributo e parabenizamos o relatório e a dedicação



22 de dezembro de 2012

AS ROMA X AC MILAN

18ª Jornada da Serie A

Estádio Olímpico de Roma

Árbitro: Gianluca Rocchi



 

        18ª jornada da Serie A. AS Roma e AC Milan encontravam-se no Olímpico de Roma vindos de diferentes resultados, os "Giallorossi" vinham de uma derrota em Verona com o Chievo e estavam em 6º lugar com 29 pontos, os "rossoneri", dois pontos atrás, no 7º lugar, vinham embalados com quatro vitórias consecutivas e a recuperar posições na Tabela Classificativa após um começo de época desastroso.


       AS ROMA


11 Inicial: Goicoechea; Balzaretti, Marquinhos, Burdisso, Piris; De Rossi, Bradley, Pjanic, Lamela; Totti, Osvaldo

Treinador: Zdenek Zeman


       Organização Ofensiva

 

       As equipas de Zeman caracterizam-se por serem equipas que jogam sempre a pensar no golo, a jogar um futebol solto, ofensivo e pressionante.

       A Roma jogou num 4x4x2 losango/4x3x1x2: Goicoechea na baliza, fez um jogo muito bom (só não foi melhor porque sofreu dois golos e fez falta para penálti no 1º golo do Milan) e tem relegado Stekelenburg para o banco de suplentes; Na defesa, Piris na direita, Burdisso (faz o 1º golo de cabeça após um canto) e Marquinhos (apenas 18 anos, é muito rápido,excelente central) a centrais e Balzaretti na lateral esquerda; Meio campo em losango, De Rossi a "6", Bradley e Pjanic como interiores na esquerda e na direita, respetivamente, e no vértice mais avançado do losango jogou o prodígio argentino Erik Lamela; Dupla de Avançados, Totti e Osvaldo, Osvaldo a PL e Totti a jogar solto na frente de ataque.

       Os "Giallorossi" jogaram em ataque posicional, um futebol apoiado, de posse com muita mobilidade no meio campo e ataque, sempre em busca da largura e profundidade no processo ofensivo.

        A construção do jogo é maioritariamente curta e lenta, no entanto em vários momentos do jogo assiste-se a um aumento do ritmo de jogo e a construção é objetiva com combinações e variações de flanco rápidas com processos de jogo simples e um jogo mais direto.

        A saída de jogo é feita através dos centrais, que têm diferentes formas de saída de jogo: jogam nos laterais para estes correrem com a bola, em De Rossi, nas primeiras fases de construção, nos interiores (sobretudo em Bradley na esquerda- subidas de Balzaretti) que recuam para o meio campo defensivo e abrem o jogo permitindo as subidas dos laterais, a última forma de sair a jogar é em futebol direto, os "Target Men" eram os avançados.

        Outra forma de saída de jogo é o GR (bola corrida ou Pontapés de Baliza): curto nos centrais, alguns passes longos nos laterais ou passes longos na frente de ataque, sobretudo nos Pontapés de Baliza.

        Balzaretti é um lateral muito ofensivo, vai à linha de fundo e surge em zonas de finalização; na outra lateral, Piris poucas vezes se envolveu diretamente no processo ofensivo, formando, juntamente com os centrais, uma linha de cobertura defensiva que suportava as subidas de Balzaretti..

        A equipa gosta de ter a bola e circulá-la no meio campo adversário, muitas vezes os centrais estavam à entrada do meio campo adversário- colocação alta da equipa no campo.

        Totti, soberba qualidade técnica- passe e controlo da bola, flanqueia o jogo pela esquerda, joga nas costas de Osvaldo e constrói o jogo de ataque; Lamela (dois golos, grande jogo!), para além de jogar a "10" (Trequartista) e organizar jogo de ataque, encosta à direita para fazer as diagonais e movimentos interiores característicos. Nestas situações, a formação tática da Roma aproxima-se de um 4x3x3- 4º golo da Roma- Lamela recebe a bola de um lançamento lateral de Piris na direita, flete para o interior, joga em Totti, solto no espaço entre linhas, que abre na esquerda em Balzaretti- cruza para área onde surge vindo de trás a cabecear para o golo, ele que começou a jogada.

         Excelente dinâmica ofensiva, na esquerda, Balzaretti e Totti estiveram envolvidos em dois golos romanos, para além do 4º, o 2º golo: Balzaretti joga em Totti e passa nas suas costas, Totti cruza para o coração área com Osvaldo a finalizar de cabeça; o "6" e os interiores foram impecáveis, De Rossi para além de organizar o jogo à frente da defesa, também surge em zonas de finalização (entrada da área) e fez uma assistência, Bradley e Pjanic deram constantes apoios quer na defesa quer no ataque, construíam em 2ª e 3ª fase de construção, deram largura ao jogo, foram praticamente "Box-to-Box" na forma incansável como davam apoios à equipa em todo o campo, duas ameaças na meia distância; Osvaldo, como não é só PL de área, recuava para o meio campo para abrir o jogo nas alas ou entrar Totti e os médios em movimentos de rutura. Forte jogo entre linhas- Totti e Lamela.

         Após a expulsão de Marquinhos e as substituições, a Roma passa a jogar em 4x4x1, no meio campo Florenzi na esquerda, De Rossi e Bradley no meio, Pjanic na direita e Destro na frente.

 

       Transição Ofensiva

 

       Mudança de atitude média. Transição ofensiva sempre apoiada com mais de uma linha de passe - Fantástica dinâmica coletiva. Movimentação em profundidade de Osvaldo e em largura de Totti- explorar as costas dos laterais e abrir a estrutura defensiva adversária de forma a encontrar os espaços. Noutras situações, Totti recua para pegar na bola a meio campo e Osvaldo abre junto a uma das linhas e traz consigo a marcação (central) abrindo espaço no ataque no 3º golo, Totti recebe a bola a meio campo e joga-a na direita em profundidade em Osvaldo. Rápidas varições de flanco. Lamela recua no meio campo e muitas vezes progride com a bola em velocidade na transição ofensiva em combinações com os médios e Totti. Balzaretti corre para o ataque logo após a recuperação da posse de bola- é impressionante a sua disponibilidade física quer a defender quer a atacar! No 3º golo da Roma De Rossi mostra a sua inteligência de jogo ao aparecer no ataque e a assistir Lamela para o golo.

  Transições do GR- Longas os avançados, curtas para os centrais, laterais ou para os médios recuados.


        Organização Ofensiva

 

       Muita compactação. Bloco médio/alto. Forte pressão e agressividade no meio campo. Constante preocupação em pressionar o portador da bola. Linhas juntas. Pressão forte e vertical, pressão horizontal no meio campo. Foi muito difícil ao AC Milan circular a bola no meio campo adversário devido à pressão fortíssima no meio campo romano. Quando os "rossoneri" chegavam ao meio campo adversário, a Roma deixava as linhas juntas e o bloco compacto; De Rossi, Bradley, Pjanic jogaram o jogo todo muitos juntos não dando qualquer espaço ao adversário no meio campo defensivo, os três formaram o chamado "trivote" médios mais defensivos em bloco baixo (4x3x1x2); Totti e Lamela para além de serem dos primeiros homens a pressionar a saída de bola do adversário, fechavam na esquerda e na direita no meio campo, respetivamente- duas linhas de 4-5 jogadores- 4x5x1, muita compactação, extremamente difícil a penetração na estrutura defensiva! A defesa teve num dia excelente assim como Goicoechea que começa a afirmar-se cada vez mais na baliza! Os dois golos sofridos pela Roma surgiram num período, após a expulsão de Marquinhos, onde a Roma "rebentou" fisicamente e os espaços surgiram com maior facilidade, primeiro num penálti cometido por Goicoechea e convertido por Pazzini e o segundo por Bojan numa recarga a uma defesa de Goicoechea após cabeceamento de Pazzini. Após a entrada de um PL no Milan, os centrais mostraram algumas dificuldades na abordagem aos cruzamentos com Marquinhos a ser batido nas costas por Pazzini num lance de perigo após a sua entrada e o mesmo aconteceu a Romagnoli no 2º golo do Milan.


        Transição Defensiva


        Mudança de atitude rápida e agressiva. A forte vocação ofensiva da equipa, deixa-os subidos no terreno e após a perda da posse da bola, a equipa pressiona alto o adversário com o meio campo a encostar nos avançados e a defesa a encostar no meio campo. Piris sempre mais recuado que Balzaretti, fecha muito bem no espaço interior e a linha de cobertura foi sempre formada juntamente com os centrais e a lateral esquerda foi sempre bem coberta, Balzaretti também é muito rápido a recuperar a posição. A defesa coloca-se muito subida no terreno e há sempre o perigo do espaço nas costas ser explorado. Quando o AC Milan chega ao seu meio campo em ataque posicional, a equipa recua o seu bloco (muito compacto) muito pressionante a meio campo com as linhas juntas e muito pouco espaço entre os jogadores.

 

         Efeito Substituição

 

       Florenzi por Lamela aos 68', Destro por Osvaldo aos 69', Alessio Romagnoli por Francesco Totti aos 80'. A primeira substituição, mudou o esquema de meio campo do 11 romano- 4x4x2 clássico- De Rossi e Bradley no meio, Florenzi na esquerda e Pjanic na direita; a segunda foi uma troca direita depois de um jogo muito esforçado de Osvaldo; a última compôs a linha de quatro defesas (após a expulsão de Marquinhos, De Rossi ocupou momentaneamente o eixo da defesa) com a entrada de um menino de 17 anos a substituir o "Símbolo do Clube dentro de campo" Francesco Totti após o "piscar de olho motivante" de Zeman, tudo concorreu para o lançamento do rapaz no seu primeiro jogo de Serie A!   


        AC MILAN


       11 Inicial: Amelia; De Sciglio, Mexès, Yepes, Constant; Ambrosini, Nocerino, Montolivo, Boateng; El Shaarawy, Robinho

        Treinador: Massimiliano Allegri

 

       Organização Ofensiva

 

        Equipa organizada num 4x4x2 losango/4x3x1x2. Esquemas sólidos mas algo inconsistentes. Alteram o jogo em ataque posicional com o jogo em profundidade para os avançados. Construção de jogo a um ritmo médio e objetiva. A saída de jogo curto é feita através dos centrais para os laterais ou para Ambrosini ou Montolivo, que recua para organizar o jogo ofensivo da equipa. Os laterais apoiam bem o ataque, mais Constant que De Sciglio, cruzam os dois muito bem, e vão à linha de fundo com excelência. A partir da 2ª fase de construção há um padrão de jogo que mistura o jogo mais direto para os avançados em profundidade- para Robinho e El Shaarawy que não são PL e têm sempre a tendência de cair nas faixas, fugir às marcações e entrar em diagonais nas zonas de finalização; Boateng é uma ameaça nas costas dos avançados pela sua excelente meia distância e pela sua dimensão física que traz ao jogo, para além de apoiar nas alas e recuar no terreno para pegar na bola, Boateng jogou também quase como um "Falso 9" aparecendo no centro do ataque, sobretudo após os movimentos em largura de Robinho e El Shaarawy abrindo espaço para Boateng "disfarçar" de PL (4x3x3)- o AC Milan jogou sem PL; outro padrão é quando Montolivo recua no terreno junto de Ambrosini e joga longo nos movimentos de rutura dos avançados e de Nocerino (movimento característico) nas costas da defesa romana- boa dinâmica no meio campo: Montolivo recua para organizar o jogo, pela sua excelente visão de jogo e Nocerino sobe no terreno e aparece de trás em movimentos de rutura na defesa adversária, pela sua excelente qualidade de movimentos sem bola. Ambrosini não tem grande capacidade de construção do jogo e por isso necessita de um apoio direto na saída de jogo na 1ª linha do meio campo- Montolivo; noutras situações os centrais progrediam com bola até o meio campo adversário em busca de um apoio para organizar o ataque. Um padrão de jogo da saída de jogo do AC Milan era também o recuo de Montolivo e a subida no terreno de Ambrosini (para além de Nocerino) de forma a abrir espaço à construção de Montolivo a partir das primeiras fases de construção.

       Montolivo é o organizador de jogo de ataque do AC Milan.

       Após as entradas de Pazzini e de Bojan o AC Milan melhorou bastante na produção ofensiva e fica-se com a sensação de que os dois deviam ter jogado a titulares. O AC Milan passou a jogar com um "9" e uma linha de três jogadores nas costas (Bojan, El Shaarawy e Boateng)- 4x2x3x1, muita movimentação, circulação rápida da bola a toda a largura do campo e começaram-se a acumular cruzamentos para a área onde já habitava um finalizador- Melhor período de jogo para os "rossoneri".

       Pontapés de Baliza- Longos para as alas do ataque/ curtos para os centrais.

 

        Transição Ofensiva

 

         Após a recuperação da posse da bola, a equipa procura aumentar o ritmo de jogo e jogar direto em profundidade na velocidade dos avançados. Se não for possível o jogo direto, a equipa volta a circular a bola em ataque posicional. Movimentos em largura de El Shaarawy e Robinho com um deles a entrar em diagonais e em movimentos de rutura nas costas da defesa- na primeira parte, após o 1º golo da Roma, El Shaarawy surge isolado na cara de Goicoechea, o lance começou numa perda de bola no meio campo romano, com Ambrosini a jogar em Robinho recebe a bola na direita, flete para o interior e faz um passe nas costas de Piris onde surge El Shaarawy numa diagonal a partir da esquerda.

  Transições do GR- Longas para os avançados, curtas para os centrais ou laterais.

 

         Organização Defensiva


         Bloco médio. Pressão horizontal. Linhas nem sempre juntas! El Shaarawy e Robinho dependendo do flanco em que se posicionavam pois trocavam de posição durante o jogo, auxiliavam defensivamente os laterais- AC Milan quase num 4x6x0 a defender no seu meio campo. Denotou-se claramente falta de agressividade na maioria dos jogadores e "desorganização na organização" da equipa- o 2º e o 4º golos da Roma são paradigmáticos do que acabei de dizer: no 2º, a Roma circula a bola a toda a largura do campo nos seus três setores com a bola passar por todos os meio-campistas da Roma- meio campo "rossoneri", quando a bola gira para a esquerda do ataque da Roma, De Sciglio fica numa situação de 2x1 contra Totti e Balzaretti, Totti tem tempo para dominar a bola e cruzar com um Robinho lento e passivo a recuperar a posição, quando se aproxima de Totti, a bola já foi cruzada; no 4º golo, é exposto outro exemplo da desorganização defensiva do AC Milan, Ambrosini desposiciona-se e sobe no terreno para cobrir a marcação a Lamela e surge Totti nas suas costas, livre de marcação no espaço entre linhas. O espaço à frente da defesa foi mal ocupado e as coberturas não forma feitas da melhor forma pelos interiores, sobretudo Nocerino, que teve um jogo bastante abaixo das suas capacidades.

   Nas bolas paradas, falhas na marcação, Burdisso aparece livre de marcação no 1º golo "giallorossi".

 

        Transição Defensiva

 

        Se a equipa perde a bola perto da baliza adversária, a equipa posiciona-se (alta) no campo de forma a que o portador da bola seja imediatamente pressionado e não haja uma transição rápida do adversário. Quando a Roma não sai numa transição rápida e sai a jogar curto em ataque posicional, o Milan recua o bloco. No entanto, durante o jogo a Roma conseguiu fazer transições ofensivas muito perigosas- no lance que vai dar o 1º golo da Roma, a Roma cria perigo num contra-ataque rápido onde apenas participaram três jogadores da Roma no lance, Burdisso passa para Pjanic que corre desde o seu meio campo defensivo até meio do meio campo adversário e passa para Osvaldo que surge a finalizar num espaço mal ocupado pelos jogadores do AC Milan em transição defensiva- o espaço entre o central e o lateral, sobretudo na direita. No 3º golo da Roma, os "rossoneri" saem a jogar curto sob forte pressão adversária, De Sciglio falha o passe e na tentativa de tentar recuperar a bola de Bradley, a bola acaba por sobrar para De Rossi que a poucos metros da área faz um passe que isola Lamela para o golo. Nesta situação, após a perda da bola há uma clara lentidão da equipa a recuperar as posições, De Rossi aparece solto à frente da defesa com Mexès a vigiá-lo mas dar espaço para a penetração de Lamela- neste lance o AC Milan fica descompensado numa situação de 5x7 com Ambrosini e Nocerino lentos a correr na direção da sua baliza a uns 5 metros de De Rossi, o homem do último passe!!!


        Efeito Substituição


        Pazzini por Nocerino aos 56', Bojan por Robinho aos 70' e Muntari por Ambrosini aos 77'. Três substituições que melhoraram muito a equipa no ataque, pois trouxe imprevisibilidade e mobilidade ao ataque (Bojan), presença matadora na área (Pazzini) e "músculo" ao meio campo (Muntari). O AC Milan jogou em 4x2x3x1, Muntari ao lado de Montolivo, Bojan e El Shaarawy móveis na faixa esquerda e no meio, Boateng na direita e Pazzini a "9".


        Observação Final

 

   Vitória da equipa mais eficaz, mais sólida e mais compacta, o AC Milan acumulou erros ao longo do jogo que acabaram por ditar a derrota. Um Abraço para todo o pessoal, espero que apreciem o meu trabalho. FELIZ 2013!!!


       Mais relatórios de Rúben Tavares

 

 

bet365

Categories: Observacao e análise

Post a Comment

Oops!

Oops, you forgot something.

Oops!

The words you entered did not match the given text. Please try again.

Already a member? Sign In

0 Comments