Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princípios, 
os processos e toda a organização tatica do futebol!

Artigos

A autoconfianca e a conviccao no sucesso do jogador

Posted by Valter Correia on July 18, 2012 at 6:30 PM

       No mundo atual, ou melhor, no mundo moderno, qualquer pessoa auto-confiante é vista como alguém acima da média e por isso, é vista como uma pessoa com qualidades e caraterísticas que todos nós admiramos. A auto-confiança é extremamente importante em todos os aspetos da nossa vida, e tal não é excepção no Desporto. Talvez o Desporto até seja um dos focos de estudo da auto-confiança, pois é pouco provável que qualquer caraterísticas psicológica seja discutida noutras áreas que não sjam de estudo.


       Podemos definir a palavra-chave como convicção na capacidade pessoal para executar uma ação ou comportamento de sucesso. Assim, uma pessoa que acredita em si mesma, mantém a expectativa que vai ter sucesso, seja num caso específico para o qual se preparou durante bastante tempo ou mesmo num projeto que vai sendo aprovado ao longo do tempo. No futebol, a auto-confiança de um jogador considera-se como a capacidade desse jogador em jogar ao nível mais elevado, sem deixar que o resultado, o adversário ou desempenho dos restantes jogadores sejam fatores que possam influenciar a própria convicção.





 

       Qualquer jogador mantém sempre em sua mente o desejo de vitória, de forma natural. No entanto, auto-confiança não equivale à vontade de vencer, porque uma derrota ou uma vitória tem muitos mais fatores que a vontade de um único jogador. Logo, a auto-confiança é a convicção do jogador nas suas capacidades próprias e não no resultado.


 

     A importância da auto-confiança do atleta


 

       A probabilidade de obter sucesso em todas as ações, até mesmo nas mais simples, depende da convicção na capacidade de obter sucesso. A mente humana é excepcional e excepcionalmente limitada, pois a mente inconsciente controla todas as ações do organismo e a própria mente, enquanto que a mente consciente envia informações à mente inconsciente de como esta se deve comportar e pensar. Assim, se a mente consciente notar que tem medo ou receio de algo, a mente inconsciente entenderá isso como algo que não é benéfico para o organismo, o que pode diminuir a convicção de sucesso. Assim cabe ao próprio atleta distinguir como deve controlar a sua mente, e acreditar que é capaz de atingir o sucesso, ou seja, tenta melhorar a sua auto-confiança. Quando está seguro de sí mesmo, consegue controlar as emoções em situações de maior stress, elevando as hipóteses de pensar com clareza e obtendo maior probabilidade de sucesso. A mente consciente controla as decisões, e a mente inconsciente controla as emoções. Assim, qualquer atleta deve ser tomar a decisão de controlar as próprias emoções, através do controlo da própria mente e de sí mesmo.


 

       Existem ainda outros aspetos propostos pela auto-confiança. Qualquer atleta tem objetivos profissionais, seja abandonar a profissão ou atingir níveis cada vez mais altos. Com um nível de convicção elevado, o atleta definirá objetivos desafiadores para sí mesmo  ainda age com consistência e determinação para alcançar esses objetivos. Tempo e quantidade de esforço são também dois aspetos importantes que são guiados pela credibilidade de um atleta em si mesmo. Basta para um jogador acreditar que é possível fazer algo mais, e concerteza que despenderá mais energia do que os restantes atletas presentes na partida, o que muitas vezes significa escolher o caminho da vitória ou da derrota.


 

 

       Qualquer treinador deve tomar determinada decisão, que é algo ligado à liderança. Qualquer capitão de equipa deve ser um jogador de atitude, que proteja o treinador perante os seus colegas, impedindo que estes se superiorizem ao seu líder. Mas deve também ser um jogador extremament confiante, de forma que possa contagiar os seus colegas de equipa. Tanto o capitão de equipa como o treinador são líderes da equipa inteira, mas cada um tem as suas funções e responsabilidades. O capitão da equipa deve cumprir a função de fazer um elo de ligação entre equipa e treinador, pois um nível de amizade elevado entre líder e seus serventes, parece, mas não é benéfico. A função do capitão é criar uma barreira entre o grupo e o comandante. O treinador, pelo seu lado, toma as decisões fundamentais, ao escolher quem joga, quando joga e como joga. O esforço físico não é do treinador, mas é do treinador que parte sempre a primeira escolha. Concluindo, tanto o treinador como o capitão da equipa devem possuir níveis elevados de auto-confiança, pois ambos são líderes, e um líder com elevada convicção nos seus objetivos, contagiará o restante grupo.


       Artigos Relacionados



 

 

Categories: Psicologia e Comunicacao

Post a Comment

Oops!

Oops, you forgot something.

Oops!

The words you entered did not match the given text. Please try again.

Already a member? Sign In

0 Comments