Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princpios, 
os processos e toda a organizao tatica do futebol!

Artigos

Capacidades motoras

Posted by Valter Correia on June 29, 2012 at 4:50 PM

       Não apenas no futebol, mas em todo o desporto no geral, as capacidades motoras são um fator a ter sempre em primeiro plano, principalmente durante a evolução do atleta. Definidas como qualquer atributo físico treinável no organismo humano, é através das capacidades físicas que se conseguem efetuar ações motoras, desde as mais simples até às mais complexas (correr, andar, saltar, entre outras). Todas estas capacidades do atleta tem origem hereditária, ou seja, foram transmitidas de pais para filhos. No entanto, todas são treináveis, dependendo da forma como o atleta é treinado ou como se desenvolve ao longo dos anos.



       As capacidades motoras estão dividias em dois grandes grupos: condicionais e coordenativas. As capacidades condicionais definem o aspeto quantitativo - como resistência, força, velocidade, agilidade, coordenação motora, flexibilidade e destreza geral - são capacidades que o corpo permite apenas uma evolução até certo ponto, ou seja, mesmo após muito treino, o atleta dificilmente conseguirá adquirir mais resistência ou mais velocidade, justamente pela razão que o organismo não está preparado para mais. O grupo das capacidades coordenativas - onde está incluída a aprendizagem, a diferenciação, a reação, a orientação, o ritmo e o equilíbrio - são capacidades que o atleta desenvolve mentalmente. Num contexto geral, as capacidades coordenativas são desenvolvidas pelos atletas enquanto estes ainda são crianças, isto é, entre os 6 e os 10 anos.


       Capacidades motoras coordenativas


        Não só no desporto, mas também no quotidiano, as capacidades coordenativas são um dos pressupostos necessários para aaprendizagem a realização de ações motoras. Estão baseadas em predisposições genéticas e desenvolvem-se através do treino.Segundo diferentes autores, as fases fundamentais da evolução as capacidades coordenativas situam-se entre os 6 e os 12 anos de idade. Seguem-se alguns exemplos de capacidades físicas coordenativas:


        Capacidade de observação - Capacidade de perceber um desenvolvimento de um movimento, seja dos colegas, dos adversários ou da bola, tendo os objetos imóveis como referência. O jogador consegue perceber o movimento dos colegas e dos adversários, seja pelas instruções que lhe sejam dadas, ou pela experiência anteriormente adquirida.


        Controlo motor - O futebol tem exigências em diferentes níveis e diferentes situações. O atleta deve ser capaz de responder a essas exigências com elevada precisão nos movimentos, seja do ponto de vista temporal, espacial e/ou dinâmico.


        Capacidade de reação motora - é a capacidade do atleta em reagir o mais rápido e corretamente possível a um determinado estímulo.


        Antecipação - o jogador deve ser capaz de prever o desenvolvimento e o resultado de uma determinada ação que se está a desenrolar, seja individual ou coletiva, para que o próprio atleta possa preparar a sua ação.


        Ritmo - difere o nível de compreensão, acumulação, interpretação e estruturas temporais e dinâmicas pretendidas ou contidas na evolução do movimento.


        Capacidade de expressão motora - é a capacidade do atleta em criar os próprios movimentos de uma forma estética e artística, como fintas, dribles e passes.


        Capacidade de representação - é a capacidade em imaginar situações bem determinadas, dependendo das informações disponíveis.


        Diferenciação cinestésica - é a capacidade de diferenciar as informações provenientes dos músculos, dos tendões e ligamentos, que nos informa a mente sobre a posição do corpo dum determinado momento e espaço, que permite o atleta de realizar ações motoras de uma forma correta e económica, conseguindo assim a coordenação dos movimentos.


        Coordenação motora - responsável por adequar de forma correta uma combinação de ações que se desenrolam de uma forma sequencial ao mesmo tempo, a coordenação motora é uma das capacidades físicas mais importantes.


         Especialmente nos primeiros anos de escolaridade, ou seja, 1º e 2 ciclo, é a idade quando estas capacidades coordenativas mais se desenvolvem. Se forem bem treinadas entre os 6 e os 12 anos de idade, estas capacidades desenvolvem-se intensamente, estagnando quando o atleta atinge a puberdade. Isto significa que esta aprendizagem motora tem de ser rápida e com exercícios e movimentos que possam ser executados nessas idades.


    


 

       

        Capacidades motoras condicionais


        Se o organismo apresenta capacidades mentais, apresenta também capacidades físicas. As capacidades condicionais são capacidades do atleta que estão ligadas ao processo energético e metabólico, que são determinadas pela obtenção e transformação de energia. As capacidades condicionais gerais são:


        Resistência - capacidade do atleta em suportar a fadiga física psicológica. Esta capacidade possibilita executar esforços com determinada intensidade por longos períodos de tempo, sem que a eficácia diminua de forma acentuada. A resistência geral é solicitada a mais de 1/6 da massa muscular, e é limitada pelo sistema respiratório. A resistência local é solicitada por menos de 1/6 da massa muscular total, e é determinada pela resistência geral, pela força e pela capacidade anaeróbica.


        Força - é a capacidade que permite reagir contra uma resistência através da contração muscular, que possibilita esforços como saltar, levantar, puxar, empurrar e saltar. A força geral é desenvolvida em todos os grupos musculares, as forças específicas são desenvolvidas dependendo dos grupos musculares característicos de cada modalidade.


        Velocidade - é a capacidade que permite realizar movimentos no menor espaço possível. Mas existem vários tipos de velocidade. A velocidade de reação é o tempo que o atleta demora a reagir a um estímulo, seja visual, auditivo ou tátil. A velocidade de deslocamento é traduzida pela distância percorrida durante determinado período de tempo. Na sua intensidade máxima, geralmente a duração é inferior a 6/8 segundos.


       Flexibilidade - é a capacidade de realizar movimentos de grande amplitude e aproveitar as possibilidades de movimentação do corpo no menor espaço possível. A Flexibilidade geral consiste na amplitude de oscilações de articulações, onde o ombro, a anca e a coluna vertebral estão entre as principais articulações. A flexibilidade específica consiste na amplitude necessária para a realização de movimentos específicos de cada modalidade.


        Destreza geral - é a capacidade que permite dominar, de forma segura, gestos motores mais ou menos compleos, seja com alternância de ritmos, de velocidade ou em deslocamento.


        Gostou do artigo? Não se esqueça de partilhar com os seus amigos


      Artigos Relacionados



 

Categories: Treino

Post a Comment

Oops!

Oops, you forgot something.

Oops!

The words you entered did not match the given text. Please try again.

Already a member? Sign In

5 Comments

Reply DuaneAcise
4:35 AM on October 24, 2017 
Cm
, 2017
Reply Chriselowl
4:18 AM on October 17, 2017 
test soft
Reply waldyr santos
3:13 PM on November 7, 2013 
Parabns Prof. Valter Correia, me ajudou muito este artigo...! Que a fora divina esteja sempre com voc. Obrigado...! (Obs: So pessoas assim que o mundo precisa.)
Reply Valter Correia
9:09 AM on July 12, 2012 
Manoel V. de Souza says...
Muito bom, parabns pela matria.
Abraos e obrigado.

Obrigado pela sua opinio

Tenho a certeza que este artigo responde sua questo. Qualquer outra questo que queira propor, ns estamos aqui

Abraos e obrigado
Reply Manoel V. de Souza
9:02 PM on June 29, 2012 
Muito bom, parabns pela matria.
Abraos e obrigado.