Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princípios, 
os processos e toda a organização tatica do futebol!

Artigos

7 sugestoes da semana

Posted by Valter Correia on May 11, 2012 at 1:35 PM

       Nos dias que correm, um desporto é cada vez mais praticado, mais difundido e chama-se futebol. Movimenta muito dinheiro, tornando-se assim mais negócio do que desporto. Surgem também treinadores de bancada, que, com um nível excepcional de conhecimento de futebol - e de tudo mais em alguns casos - surgem também algumas dúvidas simples.



     1. O conceito do remate

 

       Por excelência no futebol, o remate surge como a ação que mais vezes decide o resultado. De uma forma imprevisível,, o remate deve ser executado de forma tanto explosiva como instantânea e o atleta que aplica um remate sobre a bola deve ser rápido em julgar a situação própria para o remate. Para que um remate seja bem efetuado, o pé de apoio deve ser colocado ao lado da bola, permitindo assim uma trajetória da bola mais precisa e com um movimento do objeto do jogo com maior velocidade.



 

       2. Os tipos de combinações

 

       Existem três tipos de combinações diferentes no futebol. Mas, antes de enumerar cada uma, as combinações táticas são essenciais nos melhores modelos de jogo, para ultrapassar adversários que surgem no centro de jogo. A equipa de futebol, previamente preparada, deve ser capaz de decidir que tipo de ação deve realizar e no momento oportuno. Assim, quando dois jogadores, um deles com a posse de bola, encontram um adversário pela frente, deve seguir um para o lado com a bola controlada e o outro para o lado contrário sem a posse de bola. Esse tipo de combinação chama-se combinação simples, e causa indecisão do adversário na ocupação do espaço.

       Por outro lado, se surgirem dois defesas, os jogadores com posse de bola devem atuar de forma explosiva e imprevisível. No momento que o portador da bola passa a bola ao companheiro, deve colocar-se imediatamente em movimento. O seu companheiro que é o novo portador da bola, com a decisão já definida, devolve a bola ao primeiro portador da bola, que surge em movimento num espaço livre dos adversários, devido ao seu movimento rápido e imprevisível. Esse é o segundo tipo de combinações: combinações indiretas.

       Por fim, existe um terceiro tipo de combinações, que surgem da combinação das anteriores. As combinações indiretas são conhecidas pela movimentação que causa indecisão e pela ação de explosão, permitindo assim um total embaralho do centro do jogo sobre a equipa adversária. O portador da bola passa a bola para um colega e move-se do seu espaço para confundir um adversário, tal como nas combinações simples. O novo portador da bola, não devolve ao primeiro, mas passa a bola a um terceiro colega de equipa que surge em movimento, que é o que contece nas combinações diretas.

 

       3. A análise do adversário


       A importância duma boa leitura de jogo acresce a importância do conhecimento sobre o adversário. A equipa que prevê cada ação e/ou movimento do adversário, está mais preparada para atingir o sucesso da partida. Mas como é feita essa análise? No modelo de jogo adotado por um treinador, na primeira divisão do todo surgem os momentos do jogo, que são quatro.

       No momento defensivo, existem falhas na organização da equipa, pela qual deve ser exploradas para chegar até à baliza adversária.

       Na transição defensiva, ou seja, quando a equipa move-se para as suas posições originais de defesa, existem movimentações e espaços que a equipa deixa sempre em falha ou aberto, ou porque ocupa mal o espaço, ou porque os jogadores estão muito adiantados, ou por outras razões.

       Outro momento de jogo a ser estudado, é a transição ofensiva, ou seja, a forma como a equipa adversária trabalha a bola no meio campo para permitir leva-la até às linhas de marcação mais adiantadas e como vai oferecer a bola a essas linhas.

       O último dos momentos do jogo, que não tem uma ordem definida, é o momento ofensivo, definido pela forma como a equipa envia a bola para a baliza. Cruza? Remata? Combinações? Resta ainda as bolas paradas. Os livres, os cantos, os lançamentos. Tudo isso deve ser estudado pelo treinador e/ou equipa técnica, diminuindo as dificuldades para o jogo que se avizinha, e durante o jogo.


        4. A relação entre a tática e a técnica


        O título poderia ter sido escrito de outra forma: o que fazer com a bola e como fazer? A questão é muito simples de responder. A tática, ou a organização da equipa, responde à pergunta o que fazer. Quando a equipa está bem organizada, existem sempre soluções para fazer a bola progredir, ou então pelo menos protegê-la. para a outra questão, a pergunta como fazer, pode ser respondida através da técnica. O jogador sabe que vai passar a bola, mas deve saber colocar bem o pé e o corpo para passar a bola de forma correta. técnica.


        5. O que é o flanco no espaço?


        Quando a questão é o espaço, sempre nos lembramos das linhas de marcação, dos corredores e do centro do jogo. Estes três termos definem como a equipa é organizada de forma horizontal, vertical, ou no espaço onde se encontra momentaneamente a bola, respetivamente. Existem três corredores ou flancos. O corredor lateral esquerdo, o corredor lateral direito, e o corredor central. Cada corredor tem as suas características e formas de jogar próprias, e cada um desses corredores deve ser explorado de forma diferente.

       Os corredores laterais são usados essencialmente para forçar o adversário a desocupar o espaço. Em palavras simples, quando a bola é transportada para os corredores laterais, o adversário deve desocupar o corredor central e ocupar esses corredores, pois assim permite demasiado espaço livre para a progressão da bola pela equipa. O corredor central, como é o caminho mais perto da baliza, é também o caminho mais rápido a explorar nos contra-ataques. Em ataques posicionais, a partir do corredor central existem linhas para ambos os corredores laterais, permitindo assim um espaço maior para explorar.


       6. O que é a condução de bola?


        Entre vários artigos aqui escritos anteriormente, como os princípios gerais, operacionais e fundamentais, ou a planificação, programação e periodização do treino, que são artigos bastante completos e esclarecedores sobre os temas tratados por cada um, também já escrevemos um artigo sobre a condução da bola. Mas, sem grandes rodeios, a condução da bola - que é uma ação técnico-tática - reside na ação de deslocamento controlado da bola no espaço de jogo, com os objetivos de progredir no terreno de jogo, ou temporizar o desenvolvimento do processo ofensivo.


        7. Qual é o melhor esquema tático?


        Esta é sem dúvida uma das questões que os leitores de qualquer página de organização tática levantam. E existe uma condição para que a dita resposta seja muito procurada. Essa resposta não existe. Se começar pelo princípio, partindo de um esquema tático pelos números, como 4-3-3, o esquema tático não é a respostas para a pergunta. São apenas números que dividem os jogadores pelos vários setores. Para além desses números, existem formas como os jogadores estão organizados no campo, e essa organização define os pontos fortes e fracos da equipa. Um esquema tático pode ser bastante eficaz contra determinada equipa, mas pode também ser totalmente inútil contra uma equipa diferente. Não existe, ainda, um esquema tático perfeito no futebol


 

       Não fique parado. Os artigos seguintes são relacionados com este artigo, e são também de grande importância


Três tipos de cruzamentos
Introdução ao modelo de Jogo
O regulamento do jogo
Os princípios de jogo de uma forma simples


bet365


Categories: Teoria Tactica

Post a Comment

Oops!

Oops, you forgot something.

Oops!

The words you entered did not match the given text. Please try again.

Already a member? Sign In

0 Comments