Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princípios, 
os processos e toda a organização tatica do futebol!

Artigos

Como criar um modelo de jogo, segundo a periodizacao tatica

Posted by Valter Correia on January 29, 2014 at 9:05 AM

        Regressando à periodização tática, será uma excelente ideia compreender qual é o peso do modelo de jogo dentro da mesma. Existem treinadores capazes de explicar isto melhor do que eu, tal como José Mourinho, considerado o treinador que lançou a periodização tática no terreno. Mas, se todos pensarmos um pouco, refletirmos nos nossos métodos de treino, se organizarmos o nosso método de trabalho numa estrutura só, e procurarmos o sítio certo onde encaixa o modelo de jogo, percebemos qual é o verdadeiro valor do modelo de jogo naquilo que é a periodização tática como instrumento para evoluir a nossa equipa ao alto rendimento.

 

       No entanto, apesar da periodização tática, criada por Vítor Frade, ser de facto, um método de treino especializado na evolução da equipa segundo uma forma de jogar específica, isso não significa que possamos ter os nossos próprios métodos. No entanto, uma vez que o futebol é uma modalidade coletiva, o alto rendimento só pode ser alcançado quando construímos uma equipa a jogar como um todo, e por isso precisamos desenvolver uma organização coletiva através do treino. O modelo de jogo é a representação de uma organização coletiva, que vamos utilizar como referência para traçar todos os exercícios que levem os jogadores a jogar segundo o modelo de jogo. Alguma vez pensaram como se pode criar um modelo de jogo de sucesso, onde todos os jogadores sabem o que fazer em todos os momentos? Ficam algumas dicas gerais de como construir um modelo de jogo, segundo a periodização tática





     1. Inicie pelos quatro momentos de jogo, ou fases de jogo se preferir

       Existem imensos métodos de fazer a leitura de jogo. Alguns treinadores organizam a equipa em função dos momentos de jogo (organização ofensiva, transição defensiva, organização defensiva e transição ofensiva), outros, em função das três fases de jogo, onde já escrevemos imenso aqui acerca esse assunto, e há ainda quem organize a equipa em função das zonas do campo, levando os jogadores a cumprir funções em função da bola. O importante será, começar por decidir funções para sabermos quando atacamos, quando defendemos, quando pausamos o jogo, quando acelerámos, ou quando descansamos.

       Considero isto importante porquê? Os jogadores precisam de saber quando realizam determinadas ações e como as realizam. A isto, eu compreendo como criar uma lógica de pensamentos aos jogadores, que lhes permitem saber o momento exato para realizar as ações técnico-táticas, em que os jogadores sabem quando ou onde passar a bola, quando fintar, quando tabelar, e por ai adiante. Se os jogadores têm uma lógica de pensamento em que pensem todos ao mesmo tempo acerca o mesmo, todos sabem quais são as ações que vão tomar, e com isso, todos realizam ações em conjunto. Por exemplo, se acabamos de recuperar a bola, todos os jogadores devem saber quais são as movimentações a realizar, para que haja sempre linhas de passe e espaços fechados. Um jogador fora da sua posição, pode ser aquela linha de passe que faltou para criar uma jogada para um golo, ou então deixou aquele buraco que originou um golo, não é verdade?


       Artigo relacionado: O manual de bolso das fases de jogo





     2. Trabalhe os grandes princípios de jogo

       Se já decidiu como os jogadores se vão mover, que espaços vão ocupar e quando se movimentam, lembre-se que os jogadores precisam de saber o que fazer quando se movimentam. Um modelo de jogo deve ser específico, deve orientar os jogadores em todas as funções, incluindo quando estão longe do centro de jogo. A partir do momento de os jogadores se movimentam para uma zona do campo, para recuperar a bola, as questões são "Como recuperar a bola?" "O que fazem os meus colegas?" O que fazer depois de recuperar a bola?"

       Todas essas questões são resolvidas pelos grandes princípios de jogo, em que orientam os jogadores como pressionar, fechar espaços, organizar linhas. Os jogadores, após se movimentarem, precisam de saber exatamente o que devem fazer. Por exemplo, vamos supor que perdemos a bola, e no nosso modelo de jogo, queremos pressionar e recuperar rapidamente a bola. Como pressionámos? Homem a homem? À zona? E quem apoia? Os jogadores, precisam de saber o que vão fazer após de movimentarem, caso contrário serão ultrapassados pelos adversários. Com os grandes princípios, estamos a definir funções aos jogadores, para que estes trabalhem em campo de forma coletiva.


       Artigo relacionado: Confira uma lista com 23 princípios táticos




     3. Trabalhe os pequenos princípios de jogo

       Se os momentos de jogo organizam as movimentações das equipas e os grandes princípios organizam as funções dos jogadores, qual é o próximo passo? Organizar os jogadores na zona da bola, que equivale a um raio de 9 metros em volta da bola. Vamos pensar em conjunto: "quando a bola entra em determinada zona, o que fazer para a recuperar?", ou "Como vamos finalizar?". Os jogadores sabem para onde se movimentarem, sabem o que fazer, mas quem faz e como faz? Essas questões ainda não estão resolvidas enquanto não resolvermos o problema dos pequenos princípios de jogo. Vamos utilizar dois princípios específicos simples para exemplificar: contenção e cobertura defensiva. Estes são os princípios específicos mais simples que existem, um de ataque, outro de defesa, mas que servem para o momento.

       Se um adversário entra numa zona, a equipa deve saber quem entra em contenção e quem entra em cobertura defensiva. Se entrarem os dois em contenção, outras zonas vão estar descompensadas. Se não entrar nenhum em contenção, o portador da bola tem espaço para progredir. Precisa estar um em contenção e outro em cobertura defensiva, para que o espaço seja fechado e não haja outro espaço descompensado imediatamente atrás. Os pequenos princípios de jogo resolvem as várias situações de jogo em função de um grupo de jogadores, enquanto os grandes princípios de jogo resolvem os problemas estruturantes da equipa completa perante a equipa adversária. Então, precisamos especificar os pequenos princípios de jogo, para que os jogadores saibam o que fazer em cada momento. O futebol é desencadeado por várias ações de ganho, perca e manutenção de bola, e a equipa precisa de ganhar e manter a bola durante várias ações até conseguir alcançar a baliza para fazer ponto.







     4. Construa padrões de jogo

       Uma coisa é ter uma estrutura que organizada, onde todos os jogadores sabem o que fazer e quando fazer em função dos colegas da equipa. Outra coisa é ter jogadas preparadas, onde se assumem riscos de perder a bola, onde se acelera o jogo em função de um objetivo, que muitas equipas não tem ou estão mal preparadas. Os padrões de jogo existem para as equipas terem jogadas ensaiadas, jogadas essas já treinadas previamente e em que os jogadores as conseguem realizar com mais velocidade e precisão do que uma jogada normal.

       Se o modelo de jogo contém jogadas padronizadas, estas podem ser treinadas com mais precisão. Em jogo, os jogadores vão estar tão habituados a fazer essas jogadas, que irão realizá-las com mais velocidade e precisão do que jogadas normais, o que pode levar ao sucesso. Mas, essas jogadas precisam de ser treinadas ao pormenor, em específico, e isso só pode ser treinado em especificidade. Como sabemos, treinar em especificidade é treinar segundo a periodização tática.


       Artigo recomendado: Princípios para construir um modelo de jogo equilibrado




     5. Defina as ações técnico-táticas de cada jogador

       Sempre gostei de chamar ferramentas às ações técnico-táticas, uma vez que, através das ações técnico-táticas, os jogadores realizam ações que os conduzem a jogadas coletivas. Isto quer dizer que, só é possível criar jogadas coletivas em função das ações técnico-táticas, e por isso, os jogadores devem ter habilidade para resolver cada situação através de uma ou mais situações com ações técnico-táticas, de forma a resolver situações coletiva

       Pessoalmente, acredito que os jogadores devem ser bem desenvolvidos naquilo que diz respeito à condição técnica, isto para que sejam capazes de recuperar a bola, passar ou rematar à baliza. Para isso, acredito que há momentos do jogo em que seja preciso desenvolver exercícios unicamente técnicos, especialmente durante a formação e menos nos seniores, exercícios que levem os jogadores a desenvolver segundo a sua posição e função no campo.


       Artigo recomenado: 10 pontos importantes para a preparação da equipa para a competição




     Conclusão

       Para métodos de treino normais e básicos, podemos desenvolver um modelo de jogo simples e prático. Já para treinar a periodização tática, precisamos de um modelo de jogo completo e específico em cada momento de jogo. Uma expressão muito usual, aquela que refere que o sucesso só vem antes do trabalho no dicionário, acaba por ser verdadeira. Se realmente queremos construir uma equipa de sucesso, precisamos trabalhar imenso, desde os grandes pormenores até aos pequenos. A periodização tática, com base no modelo de jogo, precisa de ser trabalhada em específico, para passar o modelo de jogo do papel para a mente e as pernas dos jogadores.


bet365



Categories: Modelo de jogo

Post a Comment

Oops!

Oops, you forgot something.

Oops!

The words you entered did not match the given text. Please try again.

Already a member? Sign In

3 Comments

Reply auri
5:36 PM on December 30, 2015 
MUITO BOM ARTIGO, PARA FORMAR UM BOM PADRÃO DE JOGO.
Reply kulivela Leonardo
7:08 AM on March 15, 2015 
gostaria de a prender os esquema táctico de futebol onze.
Reply Aniceto Magalhaes Rosse MuquintoAnimuquinto
4:21 PM on October 9, 2014 
Ola