Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princípios, 
os processos e toda a organização tatica do futebol!

Artigos

Entrevista exclusiva a Rui Lanca, autor do livro Coach to Coach

Posted by Valter Correia on January 27, 2014 at 10:05 AM

        No futebol, sempre se disse que os treinadores devem manter-se atualizados para que possam obter sucesso desportivo. Seguimos esta regra e fomos em busca de novos conteúdos interessantes para complementar a comunidade Teoria do Futebol, e descobrimos aquilo que é o Coaching. Rui Lança, autor dos livros Coach to Coach e Como formar equipas de elevado desempenho, é profissional na área do Coaching, e concedeu esta excelente entrevista à nossa comunidade. O Coaching é uma área considerada emergente, e será com Rui Lança que ficaremos a perceber o que é realmente o Coaching. É com todo gosto que apresentamos uma entrevista exclusiva a Rui Lança, a quem agradecemos profundamente pela oportunidade que nos foi concedida. O livro Coach to Coach está disponível na FNAC, e pode ser adquirido a partir do seu computador. Basta um clique para receber o livro em sua casa



        Olá sr. Rui Lança. Gostaríamos de conhecer um pouco de si e da sua carreira. Coaching é um tema muito recente, em que muita gente ainda não está familiarizada. Como devemos compreender o Coaching?

       Rui Lança – É uma prática comum, embora nos últimos tempos tenha ganho um espaço nas empresas, organizações e até no sistema educativo. Acima de tudo trata-se de um método de desenvolvimento de competências. Mais comportamentais, em que este processo pode ser feito a uma só pessoa ou no âmbito de um trabalho em equipa. Conquista porque é um modelo de liderança e competências mais sustentável, as pessoas adquirem as competências, tornam-se parte do processo, compreendem a sua forma de estar e o que precisam de trabalhar para alcançar uma forma de estar e agir que desejam.



       E porquê aplicar o Coaching no futebol?

       RL – O coaching é uma prática já utilizada na vertente desportiva por alguns treinadores e acredito que vai crescer muito. Há uma expressão que o treinador não joga, logo ele precisa de desenvolver ao máximo as suas competências também comportamentais e nos seus atletas para entenderem o que o treinador deseja e considera ser fundamental fazer para ganhar. Por outro lado o coaching possibilita tornar os atletas e as equipas mais autónomas, com melhor capacidade de decisão. Nas equipas com quem colaboro trabalhamos a liderança, a forma como os jogadores comunicam, lidam com a ansiedade, tomada de decisão, gestão das suas emoções e até definição de prioridades.



       Quanto à motricidade Humana está relacionada com Coaching?

       RL – Considero que sim, pelo menos observo e trabalho numa perspectiva sistémica. Tentando abranger um conjunto de situações em todos os pilares do rendimento do atleta, sem obstáculos mas com caminhos diferentes.



       Como todos sabemos, liderança, motivação e comunicação são três características que podem levar qualquer treinador ao sucesso. É em volta deste assunto que o livro Coach to Coach aborda o tema da liderança. O que podemos saber acerca este livro, com participações de Rui Vitória por exemplo?

       RL – Eu abordei aquelas que considero serem as acções e os pilares fundamentais para o desempenho de um treinador. Três deles, dos mais importantes, são sem dúvida esses: a sua liderança e o que consegue com a mesma, a forma como consegue motivar e se é um excelente comunicador e consegue passar as suas mensagens. Todos estão interligados e o que vamos percebendo é que os treinadores de maior sucesso, percebem não só muito de futebol e as suas vertentes, mas conseguem comprometer os seus atletas com os resultados, desenvolvem nos atletas seres ‘pensantes’, com capacidade para decidir mais e melhor. Lideram para que todos façam parte da solução, tentam que os atletas tenham maior capacidade de assumir as suas responsabilidades motivando-os. A liderança é algo muito dinâmico e multidireccional. Rui Vitória deu a sua perspectiva de auto-análise, crítica e algumas ferramentas que utiliza para melhorar a forma como comunica e gere o grupo. Foi uma participação  interessante sem dúvida.



       E o que o levou a escrever este livro?

       RL - É fruto de um trabalho de observação, participação em formações para e com treinadores, de ter sido atleta e formado em desporto. Trabalho com treinadores e vou partilhando estas opiniões e ganhando adeptos que estas áreas são neste momento essenciais e diferenciam quem são os treinadores que ganham mais vezes que os outros. Inúmeros treinadores gostam e ficam despertos para estas temáticas. Treinadores de inúmeros desportos, divisões e categorias. Um Rui Vitória, um Jorge Braz, são importantes porque funcionam como exemplos para outros. Para não falar de outros que não participaram no livro, mas com quem partilho várias e boas discussões. Não esquecendo que José Mourinho tem muitos retractos sobre estes comportamentos. 


>>>Clique aqui e descubra o livro Coach to Coach, agora<<<



       Então, a área do Coaching pode ser desenvolvida no mundo do futebol, certo? Do género, os treinadores podem aprofundar-se naquilo que é o Coaching, de forma a que a médio ou longo prazo, haja resultados desportivos certo?

       RL - O coaching é uma forma de estar, trabalhar, desenvolver liderança, competências, regras colectivas nos grupos com quem trabalhamos ou lideramos. Por isso, alguns de nós temos um perfil comportamental e características mais alinhadas com o coaching ou não. Um treinador precisa de ser coach no que diz a formar outros líderes se quer ganhar. Mesmo que não saiba, muitos já o são. Precisa de formar o atleta não apenas bom tecnicamente, mas excelente na forma de reagir e pensar. E depois pegar nesse valor individual e motivá-lo com o bem e compromisso de toda a equipa. Comunicar, responsabilizar, reconhecer, organizar, comprometer, motivar, etc. Tudo competências que hoje em dia...todos precisamos. Quem treina os outros e quem é treinador por alguém!



       Mesmo para pessoas que trabalham fora do desporto, como funcionários de uma empresa, professores, entre outros, vale a pena descobrirem o que é o Coaching? E porquê?

       RL – Considero que sim. Não se trata de uma receita mágica ou uma varinha com poderes especiais. Trata-se de um conjunto de ferramentas, metodologias de trabalho e liderança intrapessoal e das equipas. É um método inclusivo, participativo, alinhado, que consegue criar compromisso. Considero que são todas características essenciais nos dias de hoje. Como gestor de uma equipa de trabalho, treinador, docente universitário e até voluntário em projectos, que esta forma traz resultados. Uma questão de semear e incluir as pessoas.



       Uma pergunta final: qual é o treinador que serve como melhor exemplo para esta matéria?

       RL – Na área de futebol, daria dois exemplos diferentes. Mourinho pela capacidade de comprometer os seus atletas, no excelente impacto comunicacional que tem e acima de tudo, porque consegue antever qual o impacto que o seu comportamento irá ter nos outros. Atletas seus e adversários. Esta predisposição interpessoal e liderança situacional são para mim as principais características de Mourinho enquanto treinador no que se refere ao padrão comportamental dele. Guardiola no Barcelona demonstrou a capacidade de acrescentar valor a uma visão e missão de um clube. Ou seja, algo mais colectivo. Algo mais de alinhamento. De inclusão e relação hierárquica menos acentuada com os atletas. Em outros desportos existem alguns bons casos como na NBA. 


>>>Clique aqui e descubra o livro Coach to Coach, agora<<<


        O livro Coach to Coach aborda uma visão sobre o acto de o treinador necessitar de se "treinar" a si mesmo para melhorar o seu desempenho em áreas não técnicas hoje em dia tão importantes como a comunicação, liderança, motivação e tomada de decisão. Bem como a sua real importância na gestão de atletas, pessoas e equipas. E quais os comportamentos que os treinadores e equipas vencedores apresentam, contando com a especial participação de Carlos Resende (Andebol), Fernanda Piçarra (Futsal), José Jardim (Voleibol), Jorge Braz (Futsal), Mário Gomes (Basquetebol), Luís Sénica (Hóquei em Patins), Rolando Freitas (Andebol), Rui Vitória (Futebol) e Tomaz Morais (Rugby)





bet365

Categories: Treinadores e Entrevistas

Post a Comment

Oops!

Oops, you forgot something.

Oops!

The words you entered did not match the given text. Please try again.

Already a member? Sign In

1 Comment

Reply Josue Santos
2:18 PM on May 13, 2014 
primeiro gostaria de agradecer pela existencia do seu site, muito bom vem de encontro as expectativas dos treinadores chamados academicos e nao dos de bancada ja que estes nao vao chegar la mesmo, mas de qualquer forma a informcao nunca e' demais para os pensantes do futebol.