Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princípios, 
os processos e toda a organização tatica do futebol!

Artigos

Conheca o Principio da repeticao de sistemas

Posted by Valter Correia on September 28, 2013 at 12:15 PM

 

       Hoje, vamos aprofundar porque devemos sistematizar no futebol. Analisando o princípio da repetição de sistemas, de onde partimos de um sistema extremamente simples, ficaremos a compreender a complexidade do modelo de jogo e como o podemos simplificar em campo. É uma matéria curiosa, realista, e que pode servir de base para criar um modelo de jogo eficaz. Para mim, na minha forma de trabalhar, este é um princípio geral para construir uma equipa devidamente organizada.

 

        Mas antes de partir para essas razões, vamos entender o que é um sistema. É fácil compreender como funciona um sistema, e vamos utilizar um exemplo de fora do futebol para compreender isso. Vamos supor que há um agricultor que tem uma empresa e vende maçãs. Durante uma parte do ano, cuida das macieiras, para que estas possam dar as melhores maçãs quanto possível. Na outra parte do ano, recolhe as maçãs e vende. Neste sistema, temos uma parte de produção e uma parte de venda das maçãs. Se o agricultor não conseguir vender maçãs, não conseguirá ganhar dinheiro para continuar a produzir mais fruta. Por outro lado, se não cuidar corretamente das macieiras, não terá maçãs para vender. Apesar de serem duas partes distintas para o agricultor, a verdade é que uma parte precisa da outra, para que o agricultor possa continuar a ganhar dinheiro, para melhorar o seu negócio e para pagar aos seus empregados por exemplo. Agora, puxando isto para o futebol, passa-se exatamente a mesma coisa.

 

       Cada jogador tem o seu raio de ação. Não precisa estar a apenas um metro de um colega de equipa, pois pode ajudá-lo mesmo a cinquenta metros de distância. Cada jogador, quando se movimenta para receber a bola por exemplo, está a criar um sistema muito simples, onde apenas faz parte ele mesmo e o portador da bola. É um sistema onde o portador precisa de um jogador para passar a bola e o seu colega de equipa precisa se movimentar para entrar num espaço onde possa receber a bola com segurança. Este é o sistema mais básico que encontrámos no futebol. Se o portador da bola falhar o passe para o colega, o sistema é quebrado e os dois jogadores perdem a posse de bola. Se o seu colega se movimentar para um espaço muito pressionado, ao receber o passe, pode perder a posse de bola, e o sistema é novamente quebrado. Evidentemente que o futebol não se resume apenas a um sistema de dois jogadores, mas a um sistema de uma equipa perante o adversário, que é exatamente isso que vamos perceber a seguir.

 

       Princípio da repetição de sistemas - Parte 1

 

       Ao criarmos um modelo de jogo deparámos com imensas e diferentes situações em que temos de preparar a equipa. Em cada situação, temos apenas duas situações que podem ocorrer: ou a bola fica na posse da nossa equipa, ou a bola fica na posse do adversário. Desta forma, para cada situação, os jogadores precisam e devem saber o que vão fazer a seguir. Podemos representar este princípio, como indica a figura seguinte:




 

        O esquema é composto apenas pela mesma sequência, mas que é repetida vezes sem conta: ou a equipa ganha ou mantém a bola na sua posse, ou perde a posse de bola. Independentemente disso, ou a equipa volta a ganhar ou manter a posse de bola, ou perde novamente a posse de bola, ou não a consegue recuperar. Então, em cada situação de jogo em que a equipa participe, deve estar sempre pronta para o que vai ocorrer a seguir, seja ganhar ou perder a posse de bola. Se ganhar a bola tenta continuar a progredir no terreno em busca do objetivo coletivo, que é o golo. Se perder a posse de bola, tenta recuperar para continuar a e chegar ao objetivo coletivo. Mesmo sendo possível conseguir dois resultados por situação, o objetivo final de cada série ou sequência de situações é sempre o mesmo, que é evitar o golo e marcar golo.


 


       Para que a equipa seja bem-sucedida e chegue ao objetivo, precisa ganhar a bola em todas as fases. Precisa manter a posse na saída de jogo, precisa manter a bola na construção de situações ofensivas e deve conseguir finalizar, isto se não perder a bola nenhuma vez. Vamos estudar a figura número 2.1, onde organizamos o esquema do "ganha/perde" com as três fases de jogo, onde a equipa perder a bola apenas uma vez.




        Como podemos ver, se a equipa perder a bola uma vez, o sistema que vai desde a saída de jogo até à baliza adversária, foi quebrado. Em vez de a equipa passar por três situações de jogo para levar a bola à baliza, necessitou passar por cinco situações (As setas a azul representam uma fase do jogo onde a equipa ganhou a bola, e as setas a vermelho representam uma situação onde a equipa perder a bola). Visto ter perdido a bola apenas uma vez, a equipa precisou passar quase pelo dobro de número de fases para alcançar a baliza, Isso representa tempo perdido e desgaste dos jogadores, que são dois fatores que contam imenso no jogo. Vamos passar agora para o campo através da figura 3



        Desta vez, levamos o nosso sistema do "ganha/perde" para o campo, e como podemos ver, está representada uma situação exatamente igual à situação que acabamos de descrever, onde está indicada a posição da bola e todo o caminho que a equipa precisa percorrer para alcançar a baliza.


        Princípio da repetição de sistemas - Parte 2


        Compreendido isto, vamos agora aprofundar este princípio, representando uma situação mais complexa. Desta vez, vamos prolongar o sistema do "ganha/perde", para uma situação onde um sistema é quebrado e como a equipa deve reagir a isso. Vejamos a figura:




        Desta vez, a bola foi perdida no meio campo, e a equipa estava pronta para recuperar a posse de bola de imediato. Não passou por cinco fases, mas apenas por quatro fases, porque, mal perdeu a bola, estava preparada para a recuperar. A equipa, não só desenvolveu uma ideia para tratar a bola caso tivesse passado do meio-campo logo ao início, como desenvolveu uma ideia para recuperar a bola caso a perdesse nessa zona. Então, a equipa, para esta situação, desenvolveu uma estratégia para a parte de ganhar a bola e uma para a parte de perder a bola. O sistema foi quebrado, mas em vez de iniciar tudo novamente, corrigiu o erro o mais rapidamente possível. Isso significa que se encontra na mesma fase do jogo (ou que tem menos uma fase pela qual deve passar), como evitou perder tempo e energia em vão para alcançar a baliza. Através desta análise, compreendemos porque devemos criar um sistema de jogo onde a equipa deve estar sempre pronta para a situação que vai acontecer a seguir, seja ganhar ou perder a bola. Se a equipa souber o que vai fazer quando mantém a bola, consegue fazer o seu jogo progredir e aproxima-se do alvo. Se a equipa tiver também uma estratégia para recuperar a bola, não só protege a própria baliza como aumenta a probabilidade de recuperar a bola e com isso controlar o jogo. Além disso, evita perder tempo e energia desnecessariamente.

 

        Princípio da repetição de sistemas - Parte 3


        Uma vez compreendido como funciona o sistema do "ganha/perde", vamos agora puxar este sistema para a realidade do jogo, que é a parte mais complicada e interessante das partes. Que não podemos negar que o sistema do "ganha/perde" se repete vezes sem conta, isso é verdade. Mas é também verdade que cada sistema "ganha/perde" na mesma zona do campo provavelmente não acontecerá da mesma forma. Vamos supor que temos três formas de efetuar a saída de jogo e seis formas de construir ações ofensivas. Mas, para cada saída de jogo, devemos escolher as formas de construção de situações ofensivas que encaixem com a saída de jogo. Por exemplo, não vamos tentar sair pelo flanco esquerdo e passar a bola para uma zona de grande pressão no meio-campo. Não vamos fazer uma saída de jogo e de imediato entrar numa zona de pressão para perder a bola. É a mesma coisa como o agricultar plantar macieiras para produzir pêssegos. Devemos é criar uma fase onde a fase seguinte esteja ligada com essa fase, onde é possível dar continuar a jogada para outra fase posterior.




       Como vemos na figura, sabemos que a saída de jogo A não é compatível com a criação de situações de finalização 3 por exemplo. Apenas é compatível com a construção de situações de finalização 1 e 2. Se a equipa não seguir esta ordem, é muito provável que perca a bola. Mas, caso o adversário imponha uma barreira, como a nossa equipa colocou uma barreira na parte 2? É neste momento que entra a criatividade da equipa, novamente para ganhar a bola, seguindo o sistema do "ganha/perde". A diferença, está que não passa para uma fase de jogo posterior, mas se mantém na mesma fase. Podemos chamar relançamento do processo ofensivo. A figura seguinte representa o caminho no esquema de sistemas que a equipa percorre. É como o agricultor arrancar as macieiras e plantar pessegueiros, para conseguir pêssegos. Nesse caso, terá sucesso.


 


       Princípio da repetição de sistemas - Parte 4


       Finalmente, antes de concluir, vamos imaginar que estamos a construir um modelo de jogo para a nossa equipa. Para cada situação de jogo devemos preparar a equipa para uma situação que vá acontecer de seguida. Devemos preparar uma estratégia para continuar a jogada e uma estratégia para recuperar a bola. Num modelo de jogo, partindo de apenas uma situação, precisamos de desenhar uma situação para aquilo que devemos fazer com a bola quando a ganhamos, precisamos de desenhar o que fazemos quando perdemos a bola e precisamos de desenhar o que fazemos com o jogo quando ganhamos ou perdemos a bola após a termos perdido à primeira vez.



 

       Isto quer dizer que, para cada situação de jogo, existem, no mínimo, três situações precedentes a cada situação de jogo. Uma equipa, apenas estará organizada, se tiver uma estratégia para cada uma das situações de jogo e se realmente cumprir essa estratégia em campo. Para perceber isto, vamos imaginar uma situação no campo, onde a equipa tenta passar com a bola no meio-campo, mas perdeu a posse de bola e o adversário conseguiu levar a bola à entrada na nossa área. A primeira situação que a equipa atravessa é tentar passar do meio-campo. Como não conseguiu, tentou recuperar, mas também não foi bem-sucedida. Essa foi a segunda situação. A terceira situação foi recuperar a bola à entrada da área. Visto isto, a equipa precisou estar pronta a se movimentar em frente à área ainda no momento em que ia tentar passar do meio-campo. Caso não tivesse uma estratégia para essa situação, provavelmente o adversário entrava na área e faria golo. Isto representa a ideia da equipa estar pronta para ganhar a bola numa situação de jogo, e ao mesmo tempo estar pronta para a perder e ter também uma estratégia para recuperar a bola e proteger a baliza caso não a consiga recuperar imediatamente.


       Conclusão do princípio da repetição de sistemas


       Percebemos então, como e porque devemos criar organização na nossa equipa. Devemos estar sempre prontos para o que vai acontecer de seguida, diminuindo a imprevisibilidade do jogo ao máximo possível. Isso consegue-se com um modelo de jogo, a análise do adversário e o treino correto. Até ao próximo artigo.


 

 

bet365



Categories: Modelo de jogo

Post a Comment

Oops!

Oops, you forgot something.

Oops!

The words you entered did not match the given text. Please try again.

Already a member? Sign In

0 Comments